os primeiros trinta dias do desafio 90 dias
Blog

Os primeiros 30 dias do desafio 90 dias

Hoje posso dizer que completei um terço do desafio 90 dias. Estas foram as quatro coisas que aprendi.

Lembro-me do dia que me comprometi a realizar um desafio 90 dias. Estava muito entusiasmada com o mesmo e tinha alguma ideia de como seria. Mas uma coisa é pensar sobre algo, outra coisa é vivê-lo.

O que é o desafio 90 dias?

Este desafio 90 dias foi criado pelo Tiago Faria, em que através da sua comunidade, tinha de publicar um conteúdo todos os dias durante três meses, quer fosse em texto, vídeo ou áudio.

Eu escolhi texto, pois já tinha o meu blog e poderia ser uma boa ferramenta para o fazer crescer. Além disso, já sabia o poder do efeito cumulativo. Ao fazer algo todos os dias de forma consistente, os efeitos seriam melhores do que fazer algo de vez em quando.

Era uma maratona disfarçada de sprint com altos e baixos que tinha de conquistar.

Já tinha ouvido falar do poder de criar hábitos. O coach Robin Sharma defende que podes seguir um método para criar um hábito que dura 66 dias, com três fases de 22 dias cada. Pelas suas contas, já estou a entrar na segunda fase, aquele “vale da morte” em que há confusão e destruição.

Ler mais: 5 pequenos hábitos que me ajudam na rotina matinal

O que aprendi nos primeiros 30 dias deste desafio

Olhando para o desafio, claro que os primeiros dias seriam especiais. E, considerando a ciência de criar hábitos, já passei aquela primeira incerteza chata e já deve ter integrado algum tipo de sistema para garantir que escrevo um artigo por dia.

Assim, faz todo o sentido fazer uma reflexão sobre estes primeiros trinta dias. Eis algumas coisas que aprendi.

A inspiração treina-se

Desculpem, artistas ou criativos que não conseguem produzir “sem inspiração”. É realmente algo que não acredito. A arte e a criatividade dão trabalho, ponto. E quanto mais se trabalha, mais inspiração se tem.

Basta ver artistas modernos ou do Renascimento: para cada obra icónica, há dezenas de outros rascunhos que mostram que o resultado final nunca é espontâneo.

Não, não me apetece escrever todos os dias e, por vezes, adio o exercício matinal para o final do dia (no domingo, só publiquei o artigo às dez da noite). Há dias em que estou mais motivada, outros que demoro mais tempo a escrever. Contudo, como escrevo todo os dias, consigo mais rapidamente gerar ideias, decidir o que vou escrever. E ao ter esse compromisso, a inspiração “aparece sempre”.

É algo que acredito mesmo profundamente. A inspiração pode viver em nós, mas treina-se, tal como praticar exercício físico. É preciso ir buscar a inspiração todos os dias e todos os dias ela vai aparecer.

Ler mais: Como ser mais criativo com estas 5 técnicas

Ter objetivos facilita

Mais do que ter ou definir objetivos, ter um compromisso ajuda muito.

Com o meu desenvolvimento pessoal, sabia que assumir um compromisso com alguém externo iria ajudar a manter este desafio. Se tivesse feito tudo na minha cabeça sem falar com ninguém, já não estaria aqui a escrever isto.

Não. Não fiz isso. Foi preciso pensar no público-alvo, nos conteúdos, e definir o compromisso com a comunidade do Tiago. Partilho todos os dias na comunidade o artigo que escrevi e fica despachado pelo dia. Esse estímulo sem dúvida ajudou-me.

Houve apenas um dia em que tive de escrever três artigos, porque estive o fim-de-semana fora e tive de compensar. Mas foi algo totalmente consciente e pensado.

Por isso, mais do que definir um objetivo, planeia um compromisso com alguém ou de partilhar todos os dias. Vai-te ajudar a manter-te focado.

O segredo é começar, apenas

Lembro-me que nos dias seguintes ao iniciar o desafio, pensei que ia falhar. Já não estava tão entusiasmada assim e não sabia bem o que escrever. Pensei “no que é que me fui meter?”.

Contudo, lembrei-me da sensação positiva de quando disse que “sim” e tal mudou bastante.

Comprometeres-te com um desafio quando estás num estado de “high energy” vai-te ajudar a começar. Por isso, quando é para dizer que “sim”, diz sem pensar muito sobre o tema. Se acreditas mesmo, vais arranjar tempo para o tornar uma prioridade.

E foi nesses dias de ação que soube que se só constrói uma casa tijolo a tijolo.

O segredo é sempre agir, todos os dias, o pouco que seja.

Parece demasiado ambicioso escrever 90 artigos, mas é mais fácil pensar um artigo a cada dia. Começando todos os dias a escrever, vou acabar o artigo e vou publicar. E no dia seguinte outra vez. E outra vez. E outra vez.

Passo a passo, semente a semente, vais construir o caminho para chegar ao teu objectivo. Resultado e processo, juntos, vão-te acompanhar.

Ler mais: Deves focar no resultado ou no processo? Eis a resposta

Partilhar, ajudar, ter feedback

Anunciei ao mundo que iria fazer um desafio 90 dias e fui fazendo o meu dia-a-dia. Partilhei no meu LinkedIn alguns dos artigos que estava a fazer e tive feedback muito positivo.

Ao partilhar a minha demanda, os meus conteúdos conseguiram ajudar outros a criar um blog. E até inspirei outra pessoa a fazer o seu próprio desafio 90 dias.

Isto aconteceu do dia para a noite? Não. Não posso esquecer os restantes anos do blog, os meus exercícios de escrita, o meu trabalho em comunicação que me deram alimento para partilhar conteúdos. Foi um caminho de construir conteúdos ligados a minha marca pessoal e este desafio apenas ajudou a ter mais conteúdos e mais visibilidade. E, claro, ajudar pessoas!

Se estás a pensar começar um desafio 90 dias, este pode ser o momento. Vais aprender imenso sobre ti, os teus conhecimentos, a gerir o tempo e a criar hábitos. Vais poder partilhar o teu conhecimento com outros e ajudá-los, recebendo também feedback e sugestões.

O teu projecto pode muito bem precisar deste tipo de desafios para arrancar e dar-te a consistência que precisas.

Sharing is caring!