plugin wordpress
Websites

O que é um Plugin WordPress?

Para quem tem um blog ou site WordPress, é preciso escolher um plugin para funcionar melhor. Conhece neste artigo aqueles que deves instalar.

Quem tem um site em WordPress, pode parecer difícil começar a construir um site bonito e com as características que temos. Contudo, para ajudar na performance do site, temos de instalar plugins WordPress.

O que é um plugin WordPress?

Um plugin WordPress é uma pedaço de código ou software que integra determinadas funções que, ao serem adicionadas ao teu site WordPress, permitem adicionar novas características ao teu site.

No caso do WordPress, estes plugins são escritos em PHP e sempre que estás à procura de uma funcionalidade, existe um plugin WordPress que te ajuda. Pode ser um plugin de SEO, um conteúdo que queres oferecer mediante subscrição ou até mesmo uma loja online. Do zero, através de plugins consegues ter um site funcional com tudo aquilo que queres.

Onde posso encontrar?

Para encontrares plugins, podes diretamente visitar o site do WordPress e descarregar o que pretendes. Ou então dentro do teu próprio site, na barra lateral, carrega em “Plugins -> Adicionar novo”. Vai-te aparecer a loja de plugins bem como um top de plugins mais recomendados.

plugin wordpress pagina oficial

Como escolher um plugin WordPress?

De facto, existem várias opções que podes escolher nesta loja: uns mais recentes, outros que são sistematicamente recomendados. Uns gratuitos, outros com versões pagas mais avançadas.

Existem quatro factores que deves ter em conta:

  • Quantas instalações tem
  • A versão de WordPress
  • Quando foi a última atualização
  • Ratings de clientes
plugin wordpress rank math seo

Neste exemplo, no Plugin WordPress Rank Math que utilizo para o SEO do blog, vês que é um plugin que tem centenas de milhares de instalações, o que mostra que é utilizado por muitos portais. Além disso, foi atualizado há duas semanas e na página do plugin notas que tem mais de 2000 reviews com 5 estrelas.

Estas características dizem-te muitas coisas. Se um plugin é atualizado frequentemente, quer dizer que há erros que estão a ser corrigidos e a performance a aumentar. Com centenas de milhares de instalações, mostra que é um plugin seguro, fácil de utilizar e que tem a confiança dos gestores de sites, pois está de acordo com as expectativas.

Assim, quando escolheres um plugin e estás indecisa entre dois ao três, vê estas características para decidires. Além disso, nada como visitar a página oficial do plugin para veres se gostas do mesmo, veres uma demo ou um manual de instruções para te ajudar.

Cuidados a ter

Um plugin é uma nova funcionalidade no teu WordPress, pelo que pode interferir com plugins que tens instalados ou danificar o teu conteúdo. Assim, antes de instalares algo novo, segue as instruções acima, para saber se é seguro fazê-lo.

Outro aspeto a ter em conta é que quando instalas um tema WordPress há recomendações de plugins a instalar para obteres todas as funcionalidades do tema. Por isso, deves ter em atenção se precisas mesmo deles ou se podes não instalar. Assim, não comprometes a performance do teu site.

Por fim, ao escolher um plugin WordPress, podes encontrar plugins para tudo e também ver opções all-in-one. Por exemplo, o meu Rank Math já tem uma série de funcionalidades que, quando instalei um plugin, ficaram duplicadas. Assim sendo, só preciso de ter um que trata maioritariamente de tudo.

Isto vai-te acontecer várias vezes, pelo que tens de otimizar de tempos a tempos os plugins que tens para não teres funcionalidades repetidas.

Que plugins devo ter no meu site ou blog?

Esta questão é muitas vezes abordada por quem trabalha com WordPress. A resposta mais correta seria: “quanto menos plugins tiveres, melhor”. Porquê? Porque diminuem a velocidade do teu site, afectando a performance e a forma como Google vai rankear o teu portal.

Assim, deves evitar ter demasiados plugins para depois não utilizares. Por exemplo, eu poderia escrever conteúdos sem o Rank Math, mas gosto de o ter para me orientar. Deves portanto escolher apenas alguns para começar e manter procedimentos fora do WordPress para não comprometer a velocidade. Lembra-te da experiência do utilizador: se ele se sentir frustrado no teu site, é muito difícil ele voltar.

Os plugin WordPress que atualmente utilizo são os seguintes:

Para o SEO – Rank Math

Mesmo para quem tem um website, não pode descurar o SEO das suas páginas e artigos do blog. Assim, utilizo o Rank Math há vários meses, depois de deixr o Yoast SEO. Bem sei que este último aparece nos tops dos tops, mas prefiro este. Dá-me informações melhores para os meus artigos, já incorpora site XML para as pesquisas do Google e permite-te também partilhar diretamente nas redes sociais. E é totalmente gratuito.

Para Segurança – WPRocket

Aconselhada pela Krystel do Nomadismo Digital, investi anualmente neste plugin completo para ter os ficheiros comprimidos, as imagens otimizadas e assim a performance do site ser melhor. É um investimento relevante e o primeiro do género, mas para quem tem um blog há vários anos, faz todo o sentido fazer este melhoramento no mesmo.

Para backups – UpdraftPlus

Um plugin simples para não perder conteúdo e funcionalidades. Sim, os acidentes acontecem e é muito importante saberes se tens um sistema de backup ativo ou não. Não queres ter imensos artigos de rascunho e um dia eles desaparecerem. A prevenção é o melhor medicamento.

Para comentários – Disqus

Muitos temas WordPress já contém a sua própria de comentários, mas acho que as mesmas não funcionam também. Assim, desde o início que utilizo o Disqus para gestão de comentários. Consigo rapidamente responder, obter notificações e também obter relatórios mensais dos comentários que tenho. É opcional e para mim funciona.

Outros plugins

O Gutenberg é o theme builder totalmente gratuito incorporado no WordPress. Através da lógica de blocos, podes construir o teu site com o look que preferes. Utilizo o “Ultimate Blocks” pois permitem-me ter acesso a vários blocos, como Table of Contents, Pricing, Countdown para ofertas, Call to Actions, Post Grid, Progress Bar, etc.

Utilizo também um “Insert Header and Footer Scripts” para não ter de ir ao cPanel atualizar o script do blog e assim posso colocar códigos específicos de apps de tracking sem grandes problemas.

Existem também plugins que retirei

Nesta limpeza do blog, também apaguei alguns. Tinha o Google Site Kit para poder ter acesso a tráfego, mas retirei. Assim vou diretamente ao Google Analytics ver as estatísticas todos os dias. É bom ter as ferramentas todas no backoffice, mas esta era dispensável e assim o site torna-se mais rápido.

Para as imagens do blog, procuro imagens livres de direitos de autores e ia sempre ao Unsplash. Este passo foi eliminado quando instalei o “Instant Images” que me pareceu muito mais prático. Contudo, percebi que as imagens pesavam muito no blog e por isso retirei o plugin. Agora, prefiro tirar alguns minutos a escolher a imagem, redimensionar antes de colocar. Assim, consigo também otimizar as imagens de origem.

Estes são alguns pontos que deves conhecer para teres um plugin WordPress que ajude realmente o teu site a funcionar da melhor forma.

Sharing is caring!