Blog

O Erre Grande faz um ano: retrospectiva de blogues

O Erre Grande faz um ano. Neste artigo, faço uma retrospectiva dos vários blogues que tive recentemente.

O primeiro post do Erre Grande foi dia 27 de janeiro de 2016. O título era este:

Título: Mais um!
Quando vais escrever um post e percebes que não cabe em nenhum dos outros dois blogues que tens.

Então crias um.
Ah estou a ficar doida.
Mas feliz,
Porque a vida,
A minha vida,
É escrever.
Ps – pára de apanhar os tiques dos outros blogues, este tem de ter outra personalidade, vá.

O Erre Grande não é o meu primeiro blog

Este primeiro aniversário fez-me pensar sobre como cheguei aqui, por isso posso fazer uma retrospectiva de blogues que tive ao longo dos anos.

Na adolescência, tive um ou dois blogues, como se fosse diário. Porque qualquer adolescente tem demasiada emoção para a conter só para si. E como a escrita é a minha paixão da vida, eu só poderia falar das minhas emoções a escrever.

Quando acabei o curso de Jornalismo em 2013, estive bastante parada.

Apenas escrevia para mim, mas não senti nenhuma pontada criativa para começar o que quer que fosse. Apenas um ou dois anos depois é que decidi criar um blogue…em inglês…no WordPress…sem publicitar nada…

Aquilo não era bem um blogue, era apenas um exercício meu de copiar todas as bloggers de moda que agora apareciam como milionárias. Era o meu pensamento de que eu poderia fazer o mesmo, mas melhor, porque eu tinha a visão e a experiência de ter um blogue.

Mas claro que esse blogue não resultou, pelas razões óbvias

computador rodeado de materiais criativos para criar um blog
Photo by Ewan Robertson on Unsplash

Não havia temas, não havia originalidade, não havia direcção, não havia publicidade. Era uma maneira de exercitar e ver no que é que isto dava.

Depois surgiu o Agora a Sério, em que já levei as coisas bem mais a sério. Sim, é uma ironia, mas verdadeira: ter um blog sério sobre coisas pouco sérias. Em retrospectiva, escrevia as minhas aventuras mais parvas e partilhava-as no Facebook. O meu pensamento foi: oh meu deus já tenho pessoas a lerem-me, a rirem-se das minhas coisas, a fazerem-me comentários sobre as minhas parvoíces!

Nesta retrospectiva de blogues que estou a falar, foi realmente a primeira vez que levei as coisas a sério. Porque tinha de pensar nos posts, escrevê-los, agendá-los e manter um ritmo de publicação mais contínuo. Não comecei o Agora a Sério com o intuito de o deixar andar e ver no que se poderia tornar. Era algo para ser levado a sério, em que ainda fiz um perfil de Facebook, publicava duas ou três vezes por semana e partilhava-o com a minha família e os mais chegados.

Contudo, o Agora a Sério não era bem a minha cara.

Naquele espaço, eu parecia que tinha a mania que era engraçada e não era bem a minha pessoa. Era a minha cara, porque a minha cabeça tem um parafuso a menos e meto-me nas encrencas mais engraçadas, mas não era essa a mensagem que queria passar ao mundo.

Um ano depois do Agora a Sério, anunciei a chegada do Erre Grande, ainda em versão Sapo Blogs. Era o lançamento do meu projeto, do meu espaço só meu. A experiência do Agora a Sério deu-me estofo, coragem e ferramentas de trabalho para por o Erre a andar como deve de ser.

Criei o Facebook para o Erre para ter mais hipóteses de partilhar conteúdos realmente interessantes. Criei uma imagem de marca para o blogue poder ter uma imagem clean. No início, devo admitir que os meus posts pareciam só mais uma tradução para português dos milhares de posts que eu consumia na Business Insider, na Inc, e noutras revistas inspiradoras.

Contudo, com a prática, comecei a ganhar a minha voz e a perceber que, se o Erre seria o meu verdadeiro espaço e se a escrita é realmente a minha forma de expressão, então eu tenho de falar dos assuntos que me interessam. Eu tenho de dar a minha opinião, eu tenho de contar as minhas histórias à minha maneira.

A partir de Novembro, comecei a tornar este diário motivacional em realmente num diário. Com reflexões sobre experiências diárias que tenho no meu trabalho e nos meus projetos paralelos. Em Janeiro mudei para esta plataforma e adquiri o meu próprio domínio, para tornar o Erre ainda mais profissional.

pessoa a segurar uma vela
Photo by Oskars Sylwan on Unsplash

Nesta retrospectiva de blogues, como me sinto hoje com este primeiro aniversário do Erre Grande?

A verdade é que celebrar um ano de trabalho é sempre prazeroso.

É aquele marco na nossa vida em que revemos todo o trabalho feito, vemos aquilo que já alcançamos e preparamo-nos para aprender ainda mais. Estou naquela idade que diz constantemente se soubesse o que sei hoje. Se eu ao menos tivesse a sabedoria, a confiança e a ética de trabalho que tenho hoje, possivelmente teria tentado o jornalismo. Talvez tivesse tentado o marketing ou tinha tirado uma licenciatura que realmente tivesse saídas profissionais melhores.

Mas esse sentimento está cada vez mais a desaparecer porque tanto o Agora a Sério como Erre Grande mostram-me que é através da acção que se aprende.

A única forma de aprender sobre blogues é montar um blogue. Para se fazer melhores artigos tens de realmente escrever e ler mais. A única forma de ter uma plataforma bonita, interessante e com conteúdo é dedicando tempo a estudar e a aplicar a arte da criatividade, a arte de criar textos, imagens, conteúdos.

Assim, esta retrospectiva de blogues não é um fim, é mais um início.

Aquilo que tiro mais proveito deste ano de Erre Grande é o quão importante é aprender. E só podemos aprender praticando, arriscando, fazendo acontecer, e errando. Fazer, fazer, fazer, errar, errar, errar. Até conseguir ter um projeto bom do qual nos orgulhamos e que vamos continuar a fazer mais e mais.

Escrevi no Agora a Sério há quase um ano a seguinte ideia:

“Este longo post (que não faço ideia porque é que me entusiasmei a fazê-lo) serve apenas para dizer que estou satisfeita comigo mesma e com o meu trabalho e que este caminho vai continuar por mais um ano, ou dois, ou três, quem sabe para sempre, ainda não sei. E serve também para dizer a qualquer pessoa que esteja a ler e que tenha aspirações a escrever que não desistam!

Continuem a escrever todos os dias, um pouco que seja, em qualquer lado, no bloco, no pc, num blogue privado, nos transportes, no café, em casa, às 6 da manhã ou às tantas da madrugada. Continuem sempre a escrever e PUBLIQUEM! Não tenham medo de partilharem as vossas ideias com os outros – as outras pessoas também andam à procura de alguém que tenham as vossas ideias e só partilhando é que conseguimos ter feedback para melhorar e continuar o nosso caminho.”

Um ano depois, o sentimento é o mesmo. Continuar, escrever, publicar, partilhar, arriscar, e construir. Todos os dias, um bocadinho mais.

Parabéns, Erre Grande!