publico-alvo a andar num edificio
Blog Marketing Digital

3 características a identificar público-alvo para o teu blog

No teu blog, os teus leitores são o teu público-alvo, aquele que te acompanha e que gosta do teu conteúdo. Mas será que o conheces bem? Lê este artigo para saber como identificá-lo.

A comunicação digital faz-nos pensar que tipo de mensagens queremos produzir para promover um produto ou serviço. Esquecemo-nos, porém, de olhar primeiro para quem queremos comunicar.

Não é novidade que as redes sociais mudaram a nossa forma de comunicar. Estes espaços digitais são espaços de entidades privadas que ganham relevância pública ao serem usados por todos de forma gratuita e com um único acesso exclusivo de idade (apesar de não haver um grande controlo sobre isso).

Assim, se há pessoas nas redes sociais, há marcas nas redes sociais.

É exactamente este ponto que as marcas se esquecem quando querem vender: para haver uma venda não é preciso que haja vinte pessoas, mas sim que pelo menos uma dela esteja interessada em comprar. Assim, o princípio básico é saber onde está a tua audiência.

É essa a regra número a seguir: conhecer o público-alvo.

Para poder saber como aumentar as vendas, o marketing deve criar condições para captar clientes. Essa captação existe o pensamento de quem é o público-alvo e onde é que ele está. As ferramentas digitais permitem o registo de dados sobre o cliente, o que ajuda muito na optimização de campanhas para captar mais clientes ideais.

No meio digital, há a tendência para estar presente em todo o lado, porque qualquer oportunidade pode ser boa.

Contudo, foge claramente ao princípio de que não estamos a vender para o mundo, mas sim para o público-alvo.

Quer estejas a escrever no blog da empresa ou a criar uma campanha no Facebook, pensa quem é o teu público-alvo. Para além de características básicas como idade, localização e interesses gerais, há mais dados que deves pensar numa ótica de chegar mais longe com o teu conteúdo.

Isto porque o conteúdo tem a possibilidade de criar um laço de confiança com o potencial cliente e assim converter de forma mais natural e até mesmo fidelizar o cliente com sucesso.

Estas são algumas características que deves saber sobre quem te segue.

O que sabem VS o que não sabem

Quando se tem diversos públicos de diferentes idade ou produtos diferentes, há que também perceber o grau de conhecimentos do público. Isto pode ser muito visível nos media, em que temos a percepção de que certas publicações são para uma determinada classe social ou que as revistas de especialidade são para os apaixonados e especialistas de determinado conhecimento.

O mesmo se passa na criação de conteúdo para redes sociais. Considerando o funil de vendas, há que criar conteúdos para as diferentes fases do «relacionamento» com a marca, bem como adequar a linguagem dos conteúdos.

Ler mais: Como escrever um artigo para blog em 10 passos

Por exemplo, um blog sobre fiscalidade tem a ideia de que não precisa de explicar termos técnicos, uma vez que assume que o seu público seja da área. Por outro lado, uma revista de lifestyle que tenha um especial sobre saúde deve ter em conta que não está a comunicar para médicos, mas sim pessoas com conhecimento mínimo de especialidade.

Assim, quando criar um conteúdo, questiona-te se o teu público-alvo conhece determinados termos que utilize. Isto pode ajudar no próprio propósito do texto, em que podemos ter um conteúdo de opinião ou um conteúdo para educar.

publico-alvo num concerto a divertir-se

Onde está o público (o Google também conta)

Quando se fala na presença das redes sociais, há cada vez mais especialistas de marketing digital que defendem uma presença centrada nas necessidades da empresa. Se antes era necessário ter perfis em plataformas como Vimeo, Google Plus ou Tumblr, hoje já se fala em usar estritamente as redes sociais que trazem mais tráfego.

Cada vez mais negócios não dispensam os Facebook Ads e investem em conteúdo no Instagram, mas também há organizações que notam que é nos seus blogs que conseguem gerar mais tráfego.

Assim ao olhar para o teu público-alvo percebe em que plataformas eles vão estar. Não admira que o Instagram ou o Youtube tenham tido um enorme crescimento. Como passamos muito tempo a consumir conteúdo lá, há quem se dedique a criar conteúdo apenas para essas plataformas.

Não esquecer que o Google é também «uma plataforma». As pesquisas do Google (ditas como orgânicas) fazem parte de uma estratégia de marketing não paga que dá resultados a longo prazo.

O que querem

A melhor forma de conhecer o cliente é perguntar-lhe directamente.

No meio digital, a melhor forma é usar conteúdo interactivos, como Instagram Stories, publicações a pedir a opinião das pessoas. Isso vai-te dar grandes informações de que tipo de conteúdo as pessoas querem saber sobre ti.

Se já tens um negócio em que implica clientes que pagam por serviços ou produtos, não descures o acompanhamento pós-compra. Este é vital para medir a satisfação do cliente.

Além disso, o teu público-alvo pode mudar e evoluir nas suas características e deves estar atenta a isso. Assim, acompanha questionários ou formulários de forma regular (a cada três meses) para perceber quem te acompanha, se os conteúdos são do seu agrado e que próximos projetos podem fazer sentido.

Dar a oportunidade de um utilizador criticar-te pode ser um choque, mas esse feedback é muito importante

A criação de proximidade nas redes sociais permite a influenciadores ou pequenas marcas fazerem pequenas sondagens aos seus seguidores ou darem a escolher quais as campanhas que querem ver publicadas. Se temos a oportunidade de dar algo a quem pede, como achar que não há potencial de crescimento e de melhoramento?

Assim, conhecer o teu público-alvo e fazer uma maior análise sobre o mesmo vai-te permitir:

  • Melhorar os teus conteúdos;
  • Testar ideias de negócio;
  • Obter feedback construtivo para melhorar as tuas propostas;
  • Saber com quem estás a falar e quais os seus interesses;
  • Criar uma real comunidade digital.

Por isso, nas próximas semanas, pensa mesmo em relacionares-te com quem te segue e aprender um pouco mais com eles.

Sharing is caring!