Follow Us

4 perguntas para saberes se tens uma boa ideia de negócio

4 perguntas para saberes se tens uma boa ideia de negócio

Tenho uma ideia de negócio, mas será que tem pernas para andar? Talvez sim, talvez não. Responde a estas 4 perguntas para poderes afinar a tua ideia.

Nos últimos anos, o empreendedorismo e as novas ideias têm ganho força. Para os Millennials, o empreendedorismo pode ser uma maneira de converter as suas ideias em bons negócios. Ter um Side Hustle é a prova de que um hobby pode trazer um rendimento extra.

A vaga das startups agitou a criatividade

Certamente já pensaste numa ideia de negócio. Acordaste de manhã e gostavas de ter um bar com música ao vivo ou vender t-shirts com designs loucos e coloridos.

Sim, é provável que se tens o espírito de empreender, já tenhas tido uma ideia de negócio na vida. O mesmo ocorre com muitos fundadores que pegam na sua experiência para criar startups tecnológicas. São movidos pelos seus conhecimentos, pelo mercado, por uma ideia de negócio que pode ser bem sucedida.

Contudo, as estatísticas não estão do lado dos fundadores. Segundo o artigo “The Top 20 Reasons Startups Fail” do portal CBInsights, 42% das empresas falham porque não têm um bom “market-fit”, 29% deixam de ter dinheiro e 23% não têm a equipa certa. Estes números são importantes para perceber como evitar.

papel e caneta para escrever uma ideia
Photo by Frederick Medina on Unsplash

Como ter uma boa ideia de negócio?

Considerando estes números, podes começar por ter um bom plano de negócio. Se esta solução parece-te chata e demasiado técnica, não desesperes. É realmente importante fazeres um plano de negócio, mas antes disso, podes começar por responder a 4 perguntas essenciais:

  • O meu produto ou serviço resolve algum problema?
  • Os clientes querem este produto?
  • Este negócio faz sentido?
  • Este negócio pode ser feito por nós?

Vamos então ver cada um destes pontos.

1 – A tua solução resolve um problema?

Um dos maiores problemas de fundadores de startups é o seu ego. Estar focado nas suas concretizações e não no cliente é um erro crasso. Porque os negócios são criados para resolver problemas a clientes, não como prova do quão inteligente é determinado fundador.

Por isso, a tua ideia de negócio deve resolver um problema ou preencher uma necessidade de um cliente. As pessoas têm um problema e é isso que as faz procurar coisas no mercado. Se estás satisfeito com algo, não tens curiosidade de procurar. Mas se o teu colchão velho já te começa a dar dores de costas ou se a conta da electricidade está a ficar mais cara, dedicas um tempo da tua vida à procura de uma solução para o teu problema.

Por isso, o primeiro passo é definir bem o problema, os constrangimentos que o potencial cliente tem, a dor que ele sente quando não tem uma boa solução. Depois do problema, consegues encontrar uma melhor solução.

Atenção, a ideia de negócio não precisa de ser nova. Podes criar um produto ou serviço que seja uma melhor solução para um problema existente. Porquê? Porque identificaste um problema e podes resolvê-lo com uma solução melhor.

2 – Existem clientes para o meu produto?

Esta característica é muito importante para empresas de tecnologia. Um exemplo: uma empresa já tem clientes e está a pensar num novo produto. Contudo, tem de perguntar se os seus clientes vão querer esse produto, de outra forma, estão a investir dinheiro em algo que não traz retorno.

Segundo o artigo da CN Insights, “Tal como a Patient Communicator disse “percebemos que não tínhamos clientes porque ninguém estava interessado no nosso modelo. O nosso produto era para tornar os escritórios de médicos mais eficientes. Mas os médicos não querem escritórios eficientes, querem é mais pacientes“. Neste exemplo, vemos que o entusiasmo de criar um produto que é perfeito fez esquecer a ideia de que o produto tem de resolver um problema existente, não um problema que achamos que existe.

As startups tecnológicas têm uma boa maneira de perceber se a sua ideia original é uma boa ideia de negócio: criar um MVP – Minimum Viable Product (ou o Produto Mínimo Viável).

Este produto é uma versão simplificada de um produto final imaginado, por isso tem o mínimo de funcionalidades para perceber se existe mercado para o produto. É desenhado e depois é feito um conjunto de testes primários com um só objetivo: perceber a viabilidade do negócio, ou seja, se entrega valor para o cliente.

Se tu também criares um MVP da tua ideia de negócio e testares no mercado, vais perceber se é uma boa ideia com o mínimo de investimento. Se tens clientes, podes ainda melhorar o mesmo e assim lançar um produto que terá melhores taxas de sucesso.

mulher de vestido laranja sentada numa mesa de reuniões
Photo by Dane Deaner on Unsplash

3 – Este negócio traz dinheiro?

A tua ideia de negócio pode ser boa para ti. Ajuda-te a ter um rendimento ao final do mês, mas é escalável? Consegues ter tanto trabalho que precises de outras pessoas? Como vais gerar vendas todos os meses para pagar despesas e colaboradores?

A viabilidade de uma ideia de negócio é muito importante, quer seja para uma empresa recente ou para um novo serviço. Muitas ideias são puros exercícios de criatividade ou são sonhos que retiramos da gazeta e a sua concretização traz-nos satisfação por si só.

Mas no mundo dos negócios, tal não chega. É preciso ter um modelo de negócio que gere vendas no curto e no longo prazo. Uma empresa é criada e é necessário que ela sobreviva vários obstáculos, como vendas baixas, crises económicas ou até mesmo pandemias devido ao coronavírus.

Por isso é que é muito importante pensares se a tua ideia de negócio é viável e fazer um breve plano de negócio vai-te ajudar a estruturar a tua ideia e a melhorares pontos que estão em falta.

4 – Eu consigo fazer este negócio?

Quando tens uma ideia, ficas muito entusiasmada e queres logo começar a agir. E outras vezes tens simplesmente uma ideia e não fazes ideia como a concretizar. Isto quer dizer que há ideias de que precisas de ajuda para implementar.

Se estás a criar uma empresa, talvez tenhas de procurar pessoas que trazem conhecimentos e experiência que tornem a tua ideia realidade. Ou se trabalhas para uma empresa, tens de pedir ajuda a um colega de trabalho para que um projeto seja realizado ou uma tarefa concluída.

Por isso lembra-te disto: se a ideia é boa, tem clientes e tem potencial para trazer vendas, temos todos os recursos necessários para a fazer? Preciso de contratar mais alguém? Há empresas externas que o podem fazer por mim? Este passo é crucial, porque se não o fizeres, podes lançar-te para o mercado sem uma equipa de apoio para antecipar e resolver problemas. A start-up Standout Jobs conta porque é que a empresa chegou ao fim:

A equipa de fundadores não conseguiu criar um MVP sozinha. Isto foi um erro. Se a própria equipa não consegue criar um produto próprio (ou uma equipa com ajuda a freelancers), não deviam ter criado uma startup. Deveriam ter pedido ajuda, procurar potenciais co-fundadores que iria certamente trazer melhores conhecimentos, capital e experiência, mas não o fizeram”.

Este critério vai-te ajudar a olhar mais para a implementação da ideia e a colocar os pontos nos is. É um momento de perceber as falhas da tua ideia de negócio para que a possas melhorar e tratar do seu lançamento de forma eficaz.

Assim, para teres uma boa ideia de negócio, pensa como um Product Manager

Para que a tua ideia de negócio tenha todas estas componentes, deves pensar como um product manager.

Um título de trabalho utilizado nas empresas de tecnologia, um product manager é, segundo Karl Hughes, um ex-CTO americano de Chicago, “um profissional que olha para os produtos de uma empresa de forma holística. Tem de garantir que os produtos são desejados (os clientes querem), viáveis (fazem sentido do ponto de vista do negócio) e são praticáveis (ou seja, a empresa consegue implementá-los).”

Como vês, se tiveres esta abordagem a qualquer produto ou serviço, podes converter uma ideia num negócio eficiente. Se não tens uma empresa, não tem problema, porque tal pode ser aplicado à tua carreira.

No teu trabalho, principalmente se for em marketing digital, podes pensar em novas abordagens, serviços, produtos ou ideias de negócio que ajudem a empresa a crescer. Sempre que confrontada com uma nova estratégia de redes sociais ou de newsletter, pensa nestas 4 perguntas:

  • Esta estratégia resolve algum problema? Se o problema é não converter leads o suficiente, esta solução ajuda?
  • Estes novos artigos são úteis para o leitor interno (a equipa) ou para o cliente externo?
  • O desenho deste projecto faz sentido para a empresa e traz frutos?
  • Conseguimos fazer isto em casa ou temos de subcontratar?

Este é um exemplo de como estas 4 perguntas podem ser aplicadas a uma ideia de negócio ou a uma tarefa no teu trabalho profissional. O importante é perceberes que uma ideia ou um projeto ou uma estratégia ganha força se simultaneamente for desejada, viável e praticável.