copywriter a trabalhar no computador e a escrever a formula aida no bloco branco
Marketing Digital

AIDA: como usar esta fórmula de copywriting nos teus conteúdos

Se já procuraste técnicas para melhorar a tua escrita, certamente ouviste falar da fórmula AIDA. Sabe o que é esta fórmula e porque é tão utilizada por copywriters.

Quando se trata de escrever para o digital, há certos aspectos que deves ter em conta.

O utilizador tem mais informações, pode comparar preços e procurar por testemunhos. Por isso cada negócio e empresa

Antes de concretizar a venda, é preciso então investir em estratégias de marketing para captar a atenção, entregar algo de valor e levar o utilizador a converter para, mais tarde, fazer a venda.

Ao utilizar uma estratégia de marketing de conteúdo, vais ter de escrever de uma forma a persuadir o visitante a passar por diversas fases. Mas não podes logo começar no fim! Utilizar frases de “compre já” ou “é a melhor oferta” sem perceber primeiro quais os estágios de interesse que um utilizador tem não é produtivo.

Por isso é que muitos copywriters utilizam técnicas e fórmulas que permite conduzir o visitante a fazer determinadas tarefas. Uma delas é a fórmula AIDA.

O que é a fórmula AIDA?

AIDA é uma sigla derivada do inglês, que significa “Attention, Interest, Desire, Action”. No português, a sigla também funciona, o que facilita o trabalho: Atenção, Interesse, Desejo, Ação.

É a fórmula mais conhecida pois tanto copywriters como marketers utilizam para gerar resultados. A fórmula funciona pois está intimamente ligada ao neuromarketing, um a abordagem que estuda a psicologia do consumidor para entender como é que ele compra coisas.

1. Atenção

O primeio estágio da fórmula AIDA é importante. Marketing é tudo sobre atenção, ainda por cima no meio digital.

Existem vários estímulos e atrações para um utilizador pegando apenas no smartphone, com redes sociais e YouTube. E se olharmos para fora do smartphone, a competição aumenta, pois a pessoa pode estar no telemóvel, ou então passear, ler, ver filmes, cozinhar.

Assim o primeiro estágio é saber captação a atenção do utilizador. Tal pode ser feito com uma imagem, um texto ou um vídeo. Tem de ser algo que crie algum impacto para causar diferença no outro, pois é o diferente que nos chama a atenção.

Esta técnica é muito utilizada pela imprensa, há centenas de anos. Um bom título é aquilo que te faz ler a notícia, por isso o primeiro bocado de conteúdo para chamar a atenção é o ponto de partida para a conversão.

Ler mais: O que publicar em cada rede social para promover o teu blog

2. Interesse

Só podes ter interesse quando tens atenção, talvez no complemento da imagem, podes então colocar um copy.

Contudo o copywriter tem de preparar tanto a atenção como o interesse. Porque depois de captar a atenção o que lhe vais dizer? O que vais comunicar a seguir é tão importante como a primeira parte.

Ao utilizares um título de um blog post, tens de ter uma introdução que agarre o leitor para que tenha interesse para ler o teu artigo todo. O mesmo ocorre nas notícias. O primeiro parágrafo tem de ser claro, curto e directo e ajudar o leitor a continuar a ver o resto.

Assim, enquanto o título capta a atenção e perguntas “oh quero saber o que é isto”, o primeiro parágrafo tem de ser igualmente interessante. No teu blog, mais do que título, deves também perceber a importância dos primeiros parágrafos para que os teus visitantes permaneçam mais tempo a ler os teus conteúdos.

Ler mais: Como escrever um artigo para blog em 10 passos

3. Desejo

A terceira parte da fórmula AIDA prende-se com o desejo. Como vens a perceber, está intimimamente ligado ao utilizador e ao que ele realmente precisa.

Primeiro, captas-te a sua atenção e falaste sobre o seu problema, gerando interessante. Esta é a parte que mostras que há uma solução para isso.

Tal como antes de criar um blog, tens de saber quem é o teu público alvo e que problemas tem, ao saber isto, podes criar um copy que crie desejo. Esta parte é feita de várias formas:

  • Quando tens um produto, suscitas o desejo ao mostrar quais os benefícios que determinado produto tem e como ajudou outros a resolver problemas do dia-a-dia, como melhorar a eficiência
  • O teu serviço explica como é que alguém ou uma empresa resolveu os seus problemas com o que tens para oferecer
  • Os testemunhos de clientes que já trabalharam contigo

No caso de um artigo de blog, podes aumentar o desejo com os teus próprios exemplos. Tenho um artigo em que mostro como comprei um tema WordPress e mostro as vantagens de fazer o mesmo. Poderia assim vender o meu próprio tema WordPress, mostrando o que fiz, quais as vantagens e porque outros poderiam fazer o mesmo.

O meu testemunho pode criar desejo de outro fazer o que eu fiz.

Ler mais: Estratégia Add Value First: como aplicar no teu blog

4. Por fim, a ação

A fórmula AIDA tem quatro letras e a última é aquela que interessa mais: a ação. Já tens atenção, interesse e criaste o desejo – então agora deves dar aquilo que disseste que ias dar!

É nesta fase que aparece o famoso call-to-action. O nome chama-se “chamar para ação”, pelo que tem de ser um texto, um botão, um copy que incentive a pessoa a completar uma ação, quer seja preencher um formulário ou subscrever à newsletter.

Ao terminar esta ação a pessoa “converteu”. Esta conversão pode ser o início de uma venda, tanto em e-commerce, como uma chamada de vendas para experimentar um produto ou fazer um download de um e-book pago.

Para teres uma boa call-to-action ela tem de se destacar do resto, explicar o que se pretende e passar um sentido de urgência. Porque como seres humanos não gostamos nada de perder. Por isso, agimos mais rapidamente quando temos atenção, interesse e desejo em adquirir determinada coisa.

computador a trabalhar a formula aida copywriting

Como usar a fórmula AIDA no teu blog?

Ao escreveres conteúdos para o teu blog, queres passar valor aos teus leitores, bem como fazer com que leiam mais artigos, comentem e partilhem. Assim, tens de perceber como é que as pessoas se comportam no online.

Um dos erros que principalmente se comete é pensar logo em mostrar conteúdos de venda, sem pensar no que o utilizador está à procura. Geralmente ele quer uma solução, não um produto. O trabalho do teu conteúdo é, assim, mostrar como os teus conteúdos o podem ajudar.

No teu blog, podes aplicar a fórmula AIDA em diversos campos:

  • Chama a atenção logo na tua homepage, utilizando uma oferta gratuita para te seguirem;
  • Gera interesse através dos teus títulos chamativos e da organização do teu conteúdo em tópicos que interessem;
  • Para criar desejo, conta as tuas experiências e porque é que determinados serviços ou produtos que recomendas te ajudaram a ter sucesso
  • Se queres que o utilizador faça algo, não te esqueças de colocar uma call-to-action clara e apelativa

Por exemplo, se queres aumentar a tua lista de subscritores em newsletter, deves chamar à atenção para a mesma (no footer, na sidebar ou no topo para a pessoa saber); criar interesse com uma frase apelativa e potenciar o desejo de subscrever; e por fim, ter um espaço para colocarem o e-mail e um botão. Como vês, a AIDA vai ser uma grande amiga nos teus projectos digitais.

Esta é a fórmula AIDA e que pode ser útil nos teus conteúdos a nível digital. Lembra-se sempre de guiar os teus visitantes em diferentes etapas para que conheçam o teu conteúdo e confiem em ti. Se os ajudares a fazer este caminho, consegues aumentar as visitas e ter uma comunidade relevante.

Sharing is caring!