Follow Us

5 conselhos para fazer um website para um cliente

5 conselhos para fazer um website para um cliente

Fazer um website é simples, mas também trabalhoso se cometeres alguns erros de principiante. Partilho contigo algumas dicas que deves seguir para fazer um website.

O mês de maio trouxe novidades no campo de criar websites em WordPress. Estive constantemente a mexer nesta plataforma e consegui ajudar dois clientes a terem a sua presença na internet.

Já tinha experiência em criar um blog, mas não em fazer um website.

Quando me perguntam como criar um blog, recomendo sempre fazer um website no WordPress e começar a escrever. Mas fazer um website empresarial é outra história. Não basta apenas colocar um template giro e começar a escrever posts. É necessário seguir alguns procedimentos logo de início para poupares tempo e fazeres as coisas com estrutura e pensamento estratégico.

O que deves fazer antes de fazer um website? Não fazer logo um website.

fazer um website dois computadores a mostrar código html e css
Photo by Christopher Gower on Unsplash

Eu explico. Eu sou uma pessoa muito virada para a ação. Gosto de desafios e gosto de fazer acontecer. Por isso, quando partilham uma ideia, gosto de meter as mãos na massa. Se aparecerem obstáculos, logo se resolve. O conhecimento que vou adquirindo com a experiência certamente me vai ajudar a tomar melhores decisões no futuro.

Contudo, esse meu pensamento mudou um pouco com esta experiência de criar um website para outros. Uma coisa é criar os meus próprios projectos. Invisto apenas o meu tempo e o meu dinheiro e as expectativas e ideias são todas minhas. Assim, é mais fácil encontrar o que procuro e também testar todas as alternativas possíveis até estar satisfeita.

Mas quando fazemos algo para outros, é preciso gerir expectativas. Tens de mostrar que és profissional e que sabes o que estás a fazer. Como profissional de comunicação, tenho de mostrar a melhor solução para o cliente e explicar-lhe porque deve seguir pelo caminho A e não pelo caminho B.

Assim, não bastava fazer um website – era preciso saber fazer um website.

Esta experiência foi mais do que criar um artigo ou explicar porquê ter um blog. É preciso pensar no cliente, no mercado, na sua estratégia, nas vendas que pode gerar. Assim, percebi que antes de fazer um website, deves seguir estes aspectos.

1 – Primeiro, fala com o cliente

“Dêem-me seis horas para cortar uma árvore e passei as primeiras quatro horas a limar o machado”.

Abraham Lincoln

Este conselho diz-te que antes de fazer um website, deves preparar-te de como vais fazer o website.

É por isso necessário falares com o cliente. É verdade que geralmente os clientes não sabem o que querem e por isso tens de ter uma postura de consultoria. Faz perguntas ao cliente para obter informações valiosas, tais como:

  • Qual o negócio do cliente;
  • Quem é o seu público-alvo;
  • O que gostaria que o site fizesse;
  • Quem são os seus concorrentes e como se distingue deles;
  • Se tem alguma imagem profissional criada;
  • Qual é a expectativa de ter o projecto concluído;
  • Que páginas e conteúdos pretende ter? (testemunhos, projectos de portefólio, entre outros).

Se tivesse feito estas perguntas mais cedo, teria ganho mais tempo em desenhar uma solução que fosse ao encontro com o que o cliente pensa e deseja até. Se fores por tentativa e erro, podes sentir-te frustrado durante o processo e irás investir mais tempo e recursos dos que gostarias (lembra-te que, se és freelancer, o teu orçamento tem de contemplar as horas que trabalhas. Se passas as horas inicialmente estipuladas, o teu rendimento nesse projecto diminui).

Antes de aceitar um trabalho, tira algum tempo para conhecer o teu potencial cliente para perceberes que tipo de trabalho podes fazer por ele.

editor clássico do wordpress
Photo by Stephen Phillips – Hostreviews.co.uk on Unsplash

2 – Pesquisar, pesquisar, pesquisar

Outros dos aspectos que aprendi ao fazer um website para um cliente foi como responder às suas dúvidas e questões. Para quem lida com clientes, é expectável que mudem de ideias frequentemente, por falta de conhecimento ou por estar ainda a definir o seu negócio. Assim, o teu papel é apresentar-lhes uma solução que vai ao encontro do que precisam e procuram.

Ao fazer um website, é possível que tenhas de encontrar soluções diferentes para clientes com objetivos diferentes. Logo, nunca deixes de pesquisar e perceber as ferramentas que existem no mercado. Muitas vezes existem plugins gratuitos que trazem valor ao projecto sem custos acrescidos.

Por outro lado, se tens um cliente que quer investir num website mais complexo, é possível que tenhas de investir em algumas ferramentas pagas, pelo que tens de pesquisar qual é a melhor solução com o preço/qualidade pedidos. Todos estes aspetos devem ser tidos em conta, para que a experiência de trabalhar em conjunto seja uma boa experiência para ambos.

3 – Cada cliente pode ter o seu Theme Builder

Quero dizer algo que talvez já deveria ter dito: não sou designer nem programadora. Tenho experiência e conforto em mexer no WordPress e por isso posso ajudar empresas a fazer um website para o seu negócio. Assim trabalho com Theme Builders, que são ferramentas que me permitem fazer um website sem escrever uma única linha de código.

Algo que aprendi foi a perceber qual o melhor theme builder para o cliente, pois percebi que em termos de imagens, eles apresentam estruturas diferentes.

Atualmente, gosto de trabalhar com o Gutenberg, pois é gratuito para WordPress e tem plugins com Add-Ons interessantes e também eles gratuitos. Assim, o cliente tem a flexibilidade para ter um site profissional com o mínimo investimento possível. Para além desta recomendação, tens no mercado os theme builders como Divi, Elementor e WP Bakery (antigo Visual Composer). Já experimentei todos eles e cada um pressupõe uma curva de aprendizagem, características e preços diferentes.

O Elementor tem uma versão gratuita, pelo que pode ser um bom ponto de partida. O WP Bakery é bastante utilizado por várias agências e o meu preferido é o Gutenberg, pelas razões explicadas acima. Aconselho-te a explorá-los para perceber qual aquele que dominas melhor. Além disso, o layout do teu site é influenciado pelo Theme Builder escolhido. É certamente um dos pontos que não podes descurar para fazer um website.

websites projecto watercolor
Photo by Halacious on Unsplash

4 – Faz um desenho da proposta

Aprendi das minhas experiências que antes de avançar com um site, é preciso fazer um desenho da proposta. Mostrar alguns templates que se podem utilizar, escolher as cores que estão de acordo com o negócio, explicar a exposição dos elementos e aquilo que pode ou não ser personalizado.

Se tiveres à vontade com desenhar, podes criar uma maquete no Figma, uma plataforma gratuita que te permite desenhar um website, uma landing page ou uma app e mostrar ao cliente. Estes elementos visuais são um instrumento importante para o cliente perceber o resultado final e também para te guiares quando criares o site.

Se tiveres um exemplo parecido ou um protótipo, criar e fazer um website vai ser mais fácil e rápido. O processo fica mais simples para ti e para a empresa. Seguindo o conselho de Abraham Lincoln, a preparação é o ponto mais importante do projecto. Gasta algum tempo a pensar e depois é só implementar a ideia escolhida.

5 – Faz um plano de implementação

Antes de colocar mãos à obra, vais pesquisar muito, recolher informações e pensar em soluções. Por isso, no final, precisas de um plano de implementação com todos os dados.

Precisas de saber que páginas vais criar, qual o layout das mesmas, quais as imagens e copy que vais utilizar, que formulário de contacto vais usar, como será desenhado o footer e se tens alguns plugins a instalar. Organiza a informação recolhida e faz uma lista de tarefas de fases de implementação. Isto porque pode-te acontecer o que me aconteceu: fazer tudo ao mesmo tempo e mudas um detalhe no sítio A que depois tens de mudar no sítio B.

Se criares logo os blocos que vão ser reutilizáveis em vários sítios, e os criares tal como falado, assim só precisas de criar uma vez e replicas. Se não, podes acabar por fazer a mesma coisa muitas vezes e de maneiras diferentes, não ajudando na harmonização de elementos no site.

Estes são alguns dos aspectos que deves ter em conta antes de fazer um website. A minha experiência pode ser diferente da tua, pelo que deves-te também guiar por aquilo que resultou para ti. Esta abordagem resultou para mim e ajuda-me bastante no meu trabalho, espero que ajude também no teu.