Site icon ERRE GRANDE

Fake Famous: é o fim dos influenciadores?

fake famous influenciador a mexer nas redes sociais

O Fake Famous é um documentário da HBO que mostra o lado negro de quem faz tudo para ter milhares de seguidores ou likes. Será que todos os influenciadores são falsos?

As redes sociais abriram várias oportunidades no mundo digital. Empresas conseguem gastar dezenas de euros em publicidade e chegar ao seu cliente ideal. Podes estudar cursos online para melhorar os teus conhecimentos e ainda conetar com pessoas em todo o mundo.

Os influenciadores são um tópico sensível quando toca as redes sociais. Por isso é que fiquei rapidamente interessada em ver o documentário da HBO sobre o tema.

Fake Famous mostra o lado dos influenciadores que influenciam muito pouco

A HBO arriscou fazer um documentário em que escolheram três pessoas “normais” e testaram de que forma cada um deles poderia ter milhares de likes e seguidores, receber produtos gratuitos e fazer dinheiro ao ser uma montra digital de produtos.

Contudo, estes “influenciadores” não seguiram as técnicas de persuadir. Em vez de construirem a sua audiência, o documentário mostra como é possível comprar seguidores e likes, arrendar casas e adulterar localizações. Tudo isto para convencer as marcas da tua popularidade e mostrar a seguidores como a tua vida é de luxo.

Estes comportamentos não são novos. Ao falar-se de influenciadores, há a percepção de que “não trabalham”. Tiram fotos e ganham milhares de euros. Ficam em hotéis sem pagar nada. Comem de borla. Recebem roupa sem pagar nada. É muitas vezes dita como se fosse uma não profissão, uma brincadeira que vê pessoas a serem muito bem pagas para a média nacional.

Ler mais: O culto da imagem nas redes sociais – que mensagem estamos a passar?

Mas são todos os influenciadores “fake famous”?

Quando se trata de influenciadores, discordo completamente de que não é um trabalho real.

Existem vários influenciadores que são produtores de conteúdo, com milhares de seguidores, e que têm uma comunicação clara sobre o que fazem e quais os seus gostos. Estes podem usar o Instagram, o YouTube e colaborar com marcas que trazem benefícios para o seu público.

Acho mesmo que é um trabalho a sério pela simples razão de que não é fácil criar conteúdo de forma diferenciada e porque apenas estão a seguir a lei da publicidade.

Muitos chamados influenciadores “arrendam” o seu espaço a grande marcas – isto é, um post no feed. Se uma marca quer estar exposta numa conta que tem 100 mil seguidores, então tem de pagar o seu preço. Essa publicidade deve estar devidamente identificada e assim o utilizador sabe que há uma troca comercial.

A marca fez uma proposta, o influenciador acha que é interessante para a sua audiência, há um acordo, há uma publicação, há a sinalização de uma publicidade e o utilizador pode ou não ficar contente por conhecer um novo produto.

Contudo, os influenciadores não estão livres de críticas

As críticas muitas vezes apontadas a “falsos influenciadores” é que criaram as suas contas apenas para fazer dinheiro e que dificilmente persuadem alguém. Outra crítica é que muitos não acreditam nos produtos que publicitam. Assim a audiência sente que não está a ver conteúdo de que gosta, sente-se manipulado e deixa de seguir (ou devia deixar de seguir).

Além disso, não nos podemos esquecer que alguns influenciadores podem passar a imagem de vida perfeita, e tal pode não ser verdade e é bastante irrealista. Tal como o documentário “Fake Famous” mostra, é realmente fácil orquestrar uma vida perfeita que não é real. Pode-se arrendar uma casa e mostrar que é nossa. Pode-se pegar em roupas oferecidas e publicar, só porque sim.

Outro caso é a influenciadora que fingiu que foi numa viagem ao Bali – mas afinal foi à loja do IKEA!

Por isso, os influenciadores não estão livres de críticas. Estes precisam de perceber a influência dos seus conteúdos e ter cuidado de que forma comunicam com a sua audiência.

E, como utilizadores, precisamos de parar, filtrar esta realidade e falar mais sobre o poder de persuasão das redes sociais e como estas realidades imaginadas causam nas pessoas sentimentos de inveja, inadequação e também levar a depressões, porque não temos a vida de milionários privilegiados de 25 anos.

Ler mais: The Social Dilemma: temos de falar sobre as redes sociais

Como podes ser um bom influenciador?

Ao ver o documentário “Fake Famous” soube que também existem bons influenciadores. Sigo contas de Instagram e de YouTube que têm conteúdo muito valiosos. Há pessoas que sigo que me dão dicas de alojamentos para férias, produtos a usar ou que restaurantes devo conhecer.

Assim, obtenho essa informação, vejo se é algo que se adequa ao meu estilo de vida e ignoro aquilo que não está de acordo com os meus valores. Se seguir uma conta que tem um discurso completamente desalinhado comigo, deixo de seguir. Eu fico em paz e essa pessoa fica com uma audiência mais fiel para a sua mensagem.

Ler mais: Isto de ter uma personalidade nas redes sociais

Por isso, eu acredito que é possível ser um bom influenciador – ao ser um bom produtor de conteúdo. Não deves usar bots ou comprar likes, mas sim criar uma audiência e servi-la com conteúdos de alta qualidade, escolhidos por ti, para ajudar outros.

Estas são algumas dicas para te tornares um bom influenciador:

  1. Sê autêntico: descobre os teus valores, encontra a tua mensagem central e partilha-a com outros;
  2. Fala também dos teus desafios. As redes sociais vivem muito das mensagens positivas, mas a tua audiência vai gostar de saber que tens problemas tal como qualquer outra pessoa;
  3. Partilha as tuas experiências e soluções. É este o principal valor que podes dar aos outros;
  4. Cria o teu nicho: não queiras comunicar para todos. Escolhe um nicho que junta dois ou três interesses teus e cria valor;
  5. Constrói a tua tribo: foca-te em criar uma audiência durante meses, com conteúdo consistente. Recebe feedback e melhora a tua mensagem.
  6. Sê humilde: o que pensas hoje pode ser mentira amanhã. Admite os teus erros, corrige-os.
  7. Cria parcerias estratégicas: escolhe muito bem as marcas com quem trabalhas para uma maior transparência dos teus conteúdos.
  8. Não o faças por dinheiro: podes querer ter o estilo de vida e o conforto financeiro, mas fazer algo por dinheiro não te vai trazer felicidade.

O Fake Famous está disponível na HBO Portugal.

Exit mobile version