erre grande 5 anos blog
Lifestyle

Os 5 anos do Erre Grande

O Erre Grande faz cinco anos e já passou por altos e baixos, como qualquer um de nós. Mais uma reflexão neste dia de aniversário.

Quando se começa um blog, dificilmente acreditamos que ele chegue aos cinco anos. Mas cá estamos hoje, vivos da silva.

O Erre Grande conseguiu passar os dois anos, os três anos e os quatro anos. E sobreviveu a uma pandemia, mesmo que esta mate muitos e coloque no desemprego tantos outros.

Os aniversários são por excelência momentos de reflexão e esta é uma tradição que não quero deixar de ter. No fundo, é mais um texto que prova qual o meu estado de espírito no momento, o que valorizo e para onde quero caminhar. No ano seguinte, gosto de ler o anterior e perceber o quanto evolui.

O Erre Grande parece uma pessoa, porque também tem os seus altos e baixos

No ano passado, falei que este espaço era para a minha escrita viver, ter um lugar, respirar sem preconceitos. É tanto um projeto criativo, como uma marca pessoal que me permite mostrar as minhas ideias e competências em termos de escrita de conteúdos.

Em 2020, o Erre Grande sofreu alguns altos e baixos. Não sei se foi por causa da pandemia, mas talvez porque viveu momentos mais intensos.

Do ponto de vista de criatividade, teve muitos momentos altos quando comecei a escrever sobre marketing digital. Também comecei a fazer experiências de SEO e tal melhorou imenso a minha escrita.

Outro marco importante foi começar a partilhar mais no LinkedIn alguns artigos e ter esse feedback deixou-me contente e ajudou-me também a pensar melhor nos temas que gosto de trabalhar. E, segundo o meu “editor”, comecei a escrever artigos mais extensos, com mais de 1500 palavras, mas que estavam interessantes e bem estruturados.

Para mim foi um último ano com muitos pontos positivos, em que experimentei novos temas, fui mais criteriosa com o conteúdo que publicava, consegui escrever mais sem perder a qualidade e cheguei a mais público. Isto tudo mantendo a consistência de publicar pelo menos um artigo por semana. Escrever mais de 50 artigos para mim é obra feita!

Contudo, o Erre Grande também levou um grande ponto de interrogação

Se houve um período em que ficar em trabalho remoto me permitiu ter mais flexibilidade de horários e com isso consegui investir mais neste espaço, por outro lado também apareceu a derradeira questão: será que o Erre Grande chegou ao fim?

Lembro-me bem de quando criei o Erre Grande, ainda nos blogs do SAPO. Tinha um outro blog mais de brincadeira e estava a ver o Shark Tank USA na TV. Estava viciada na série e tinha muitas ideias para pensar. Um dia, algumas ideias brotaram e pensei que as deveria escrever e partilhar.

Por isso, criei o Erre Grande para que fosse uma versão melhorada de mim. O principal foco era carreira, desenvolvimento pessoal e gestão. E nos últimos meses deixei também abrir espaço para experiências pessoais, marketing digital, o mundo do trabalho, etc. Mas havia aqui uma ideia escondida de o tornar em algo mais, algo que fosse “lucrável” e achava que os artigos, a estrutura e os temas não estavam adequados a esse propósito.

Durante breves semanas, criei um novo blog e achei que o Erre Grande teria chegado ao fim

Paguei um WordPress à parte, para ser um blog de nicho, em que pudesse aplicar as várias skills de marketing digital que sei. Escrevi três artigos, mas não lhe dei continuidade. Não tinha espaço, nem tempo, para ter dois blogs em simultâneo. Não tinha no coração a vontade, o propósito, o objetivo bem definido de tornar o novo espaço em algo rentável.

No entanto, ainda vislumbrei que, no futuro, este espaço ficaria abandonado. E seria mais um daqueles blogs em que a última atualização foi há mais de seis meses. Mas não chegou a ter esse fim, por uma razão simples.

5 anos depois, chego sempre a uma conclusão: o Erre Grande é “trabalho”, mas primeiro é divertimento

Não ganho nada com isto, a não ser paz interior e desenvolvimento das minhas competências de escrita. Escrevo porque tem de ser, como tenho de respirar, comer. É uma necessidade inata em mim e se não o fizer, fico doente. Por isso, o Erre Grande é o meu espaço de escrita para me manter saudável e feliz.

Digo que é trabalho, porque, de facto, invisto horas por semana em cada artigo, penso nas keywords a utilizar, vou buscar imagens, escrevo, deixo de lado, escrevo de novo, corto, edito, publico, partilho nas redes sociais. É trabalho, porque me tira tempo, às vezes não me apetece, mas há uma obrigação interna de o fazer. Uma obrigação quase de sobrevivência, diria eu.

O Erre Grande vai existir porque eu preciso que ele exista. Interessa-me pouco se tem poucos ou muitos fãs, se tem ou não anúncios, se os temas não são os mais procurados no Google Trends. Ele existe para que haja conteúdo útil para mim e para outros, num exercício muito egoísta com uma pitada de altruísmo.

Assim para este quinto aniversário, apenas desejo que celebre o sexto. E acredito que o vou fazer, porque vou precisar dele para o ano, e para o próximo e para o próximo.

Sharing is caring!