escrever para clientes
Carreira

Escrever para clientes: 5 coisas a ter em consideração

Estás a escrever para clientes? Faz estas questões ao cliente para teres um melhor trabalho.

Quer estejas a escrever como freelancer ou a trabalhar numa agência de comunicação, podes não escrever só para ti.

De fato, ter clientes pode influenciar a tua escrita. Não é para o teu blog e, por isso, tens pouca escolha editorial. Além disso, não é a tua voz que deve ficar no texto, mas sim a voz de determinada marca.

Ao começares a escrever para clientes, há alguns aspetos que deves ter em conta.

Para escrever para clientes, define primeiro o objetivo do trabalho

Tal como menciono várias vezes, um freelancer pode ter liberdade de escolher com quem trabalha e como trabalha. Mas tmabém pode ter instabilidade financeira, pois um mês pode ter muito trabalho e no mês seguinte nada. Sem um contrato feito, a qualquer altura o cliente pode deixar de trabalhar contigo.

Um dos outros problemas que um freelancer pode ter no início é trabalhar mais do que aquilo que estava à espera. Porque o cliente pede imensas alterações, porque gosta assim ou gosta assado.

Assim, quando estás a escrever para clientes, tens de definir primeiro qual o objetivo do trabalho.

Deve ficar explícito no teu contrato o que vais fazer, como vão trabalhar em conjunto, quantos artigos vais entregar (e que dimensão) e quais as diferentes fases do projeto. Tal vai ajudar a redigir a tua proposta, bem como a saber como deves trabalhar com ele.

Ler mais: 7 Dicas para Content Writers poderem ter mais clientes

Saber a voz da marca

Quando escreves para o teu blog, estás a escrever sobre ti, os teus temas. Ganhas a tua voz e encontras a tua marca.

O mesmo princípio é aplicado ao cliente. Ao escrever para o seu blog ou outros conteúdos, tens de assumir a voz da marca. Perceber qual é a sua missão, os seus valores, que palavras associam ao seu negócio.

Neste passo, é importante pedir se o cliente tem um manual de estilo de marca. Pode ser uma grande ajuda nas expressões que vais utilizar, se tratas o utilizador por “você” ou “tu” e quais os temas centrais que a marca trata.

Lembra-te: escrever para clientes é escrever algo da perspetiva da marca, não da tua.

Conhecer o seu público-alvo

Para além do manual da marca, deves também ambientar-te sobre o público-alvo do cliente. Estas são algumas perguntas que podes fazer:

  • É um negócio B2B ou B2C?
  • Quais as características demográficas do público (género, idade, localidade, etnia)
  • Quais são os seus interesses?
  • Quem é o cliente ideal?
  • O que ele procura?

Estas perguntas enriquecem o teu trabalho de pesquisa da marca. Permite-te colocar do lado do cliente e encontrar as melhores formas para comunicar com o seu potencial cliente.

Além disso, com técnicas de copywriting, podes melhorar muito a mensagem da marca para a qual trabalhas.

Ler mais: AIDA: como usar esta fórmula de copywriting nos teus conteúdos

Se estás a escrever para clientes, pergunta qual o tipo de conteúdo a fazer

Existem vários tipos de conteúdo, e não estou a falar de texto, imagem ou vídeo. Estou mesmo a falar de conteúdos aplicados ao funil de vendas.

O que é que isto do funil? Eu explico-te.

Tens vários utilizadores a aceder a um website e a ler artigos de blog. Contudo, nem todos têm o mesmo conhecimento e, por isso, deves criar conteúdos a pensar em cada fase que o utilizador se encontra.

Por exemplo uma empres que vende suplementos alimentares. Pode ter conteudos para quem está há procura pela primeira vez ou alguem que quer comparar produtos específicos para determinada utilizada.

Podem ser o mesmo público-alvo, mas estão em diferentes fases de compra, procuram conteúdos diferentes, mais ou menos aprofundados.

escrever para clientes fechar negocio com aperto de mão

Ao escrever para clientes, não basta saberes qual o artigo que vais escrever. Pergunta qual o tipo de conteúdo que procuram.

Se for para alguém que está a conhecer apenas a marca, o conteúdo vai assumir determinadas mensagens. Se o que a marca procura é um conteúdo altamente especializado para aumentar as conversões de visitantes que ainda não se sentem prontos a comprar, talvez o teu artigo de blog seja algo como “X razões para comprares já o serviço Y”.

É muito diferente de criares um artigo “Como melhorar X” e o artigo estar referenciado.

Por isso, entende que tipo de conteúdos é que tens de escrever para adaptar a mensagem ao objetivo pretendido.

Pergunta quais as keywords a ser utilizadas

Para SEO para blogs, mesmo que sejam empresariais, lembra-te de perguntar quais as keywords que utilizam.

Vais também de fazer alguma pesquisa sobre palavras-chave relacionadas com o negócio, a missão, a indústria. Ao teres este enquadramento consegues ter uma estratégia de marketing de conteúdo de longo prazo.

Podes também explicar ao cliente que, com base na tua pesquisa, devem criar conteúdos deste tipo ou daquele. Assim, saber as keywords complementam o teu trabalho.

Ler mais: 6 passos para pesquisar uma keyword para um artigo

Estas são alguns pontos que deves ter em atenção ao escrever para clientes. Não é só criar o conteúdos. Tens de conhecer a voz da marca, quais as regras de escrita, que palavras estão relacionadas com o negócio, bem como quais os conteúdos que são necessários para determinado projeto.

Ao seguir estas dicas, podes apresentar ao cliente um trabalho altamente especializado e que traga os resultados para uma parceria de sucesso.

Sharing is caring!