VIDA, ESCRITA

Agora a Sério: um blog parado que ainda recebe 1000 visitas

Um blog que já não era escrito desde 2017 teve durante um ano mais de 1000 visitas.

O Erre Grande não foi o meu primeiro blog, mas é certamente aquele que se mantém ativo há mais tempo (estamos perto dos quatro anos!). Apesar de não escrever mais neles, continuam a estar ativos ou privados, para poder olhar para eles e ver como evoluí.

Antes de existir o Erre Grande, existia o Agora a Sério.

Chama-se Agora a Sério e foi um blog no SAPO. Era um blog para me distrair. Foi um blog criado porque queria dizer coisas engraçadas. Era um blog para mostrar o lado menos sério da vida. Foi um blogue que me acompanhou no primeiro trabalho que me deu muitas dores de crescimento.

Foi um blog que durou até eu querer fazer coisas mais sérias e partilhar uma mensagem que eu pensava ser mais importante e melhor.

Falar das trivialidades da vida estilo Pipoca mais Doce ou Bumba na Fofinha funcionava para elas, mas não para mim.

Com o Erre Grande, o trabalho e o gosto por desenvolvimento pessoal, não queria mostrar o meu lado menos sério. Se queria ser levada a sério, a minha pegada digital tinha de ser mais de profissional. Assim, deixei de postar no Agora a Sério. O último post que coloquei lá foi a 18 de julho de 2016. Não voltei lá mais.

Até que um dia, em 2019, tive um pensamento que gostava que fosse partilhado. Mas não era no Facebook, nem no Instagram e muito menos no blog post aqui. Lembrei-me que era o post perfeito para o Agora a Sério.

E pensei: porque não?

Naquela ânsia de tirar as coisas de dentro de nós, abri o blog e vi que tinha visitas. De 18 de julho de 2016 a 4 de outubro de 2019 passaram mais de 3 anos. Mas ele teve visitas em Outubro de 2018 e Maio de 2019. O melhor mês foi Setembro de 2019, um mês antes de publicar aquele singelo post.

No total, de Outubro de 2018 a Dezembro de 2019, foram mais de 1000 visitas. Um blog não activo há mais de dois anos. Um blog que não está ligado à atualidade. Um espaço que não sofreu alterações e esteve ao abandono. Um blog que esteve à mercê das mudanças de algoritmos na plataforma onde se encontra.

Um blog inactivo teve 1000 visitas: sinto-me orgulhosa.

Quando olhei para as estatísticas por curiosidade, fiquei contente. Era como se estivesse a olhar para algo que afinal não estava esquecido. Mas para algumas pessoas era algo novo e não velho. Não era o meu antigo blog, era apenas um blog, como os outros. Sentia que tinha deixado um mini legado, algo que viveu para além do último post.

Pensei sobre a blogsfera e como estes começaram por ser espaços para falar sobre a vida e os sentimentos. Os blogs nasceram como espaços muito pessoais e criativos, mas também ligados a comentadores e opinion makers. Ter um blog que era lido era sinónimo de bom escritor. Era quase que uma responsabilidade ter pessoas a ler o blog – a ler-te!

Eu tive algum sucesso com este pequeno. Foi o primeiro blog que partilhei abertamente no meu Facebook e as pessoas acharam piada. Foi bom receber o feedback positivo e as gargalhadas digitais. Serviu para ultrapassar a rejeição de escritor e acreditar que tinha boas skills de escrita (criativa ou não criativa). Foi um bom momento e foi por ele que eu consegui criar este cantinho.

Sem o Agora a Sério não havia Erre Grande, tenho a certeza.

Olhando para trás, é giro ver-me com menos cinco anos. É giro ver o que pensava e como escrevia. Pode ser assustador ver as diferenças, mas é reconfortante saber que cresci e bem. E é hilariante encontrar as semelhanças e os tiques que ainda tenho atualmente. Se calhar aquela criança interior nunca nos abandona mesmo que os anos passem.

Se pensar em algo mais metafísico, este blog é um sinal. É prova de que tudo na vida é um processo e se queremos chegar a determinado sítio, há passos que não podemos deixar de dar. Há etapas que não podemos saltar. Se não tivesse experimentado escrever assim, não tinha escrito e publicado os vários textos que escrevo aqui, no Linkedin, no Portal da empresa onde trabalho.

Mas os blogs mudaram e ninguém chora muito por isso. Ao estilo “é o que é” porque sinceramente, nem toda a gente lia e amava todos os blogs do mundo. Hoje esses blogs mais pessoais quase desapareceram, porque questões de monetarização. Já ninguém partilha a vida só porque sim. Há um valor de marca e de rentabilização do espaço digital que despe do blog da sinceridade inicial.

Se é possível ter um Agora a Sério em 2020? Sim, é possível. But just for kicks.

Há que querer um blog para uso pessoal, sem objetivos ou fins. Apenas porque queremos tanto partilhar algo que não pode ficar em nós. Nem se precisa de ter leitores. Mas é giro quando os há.

Ter um blog só por ter é um bom hobby, uma boa descontração, uma coisinha fofa que temos como um bebé. Uma coisa que nos dá prazer no mundo mais virado para as aparências. Um exercício de escrita sem pretensões.

Era isso que o Agora a Sério era: uma descontração sem objetivos ou pretensões. Era o testemunho da minha diversão aos vinte e poucos anos. Por me ter lembrado dele, postei duas coisas recentemente e ele vai ficar aberto sempre que “aquela” Rita aparecer para dar uma ou outra achega parva às coisas que acontecem no dia-a-dia.

Não é para postar sempre, não é para fazer dinheiro, não é para ter consistência. É só mais uma desculpa para ter um cantinho meu na Internet e poder partilhar com quem quiser e não quiser.

No fundo, é bom ter blogs ontem, hoje e sempre que se queira.