CARREIRA, DESENVOLVIMENTO PESSOAL

7 perguntas e respostas para melhorares o teu CV

Quer estejas a acabar a faculdade ou já tens vários anos no mercado de trabalho, podes ter dúvidas sobre o CV. Vê estas 5 respostas que te podem ajudar.

O processo de procura de trabalho pode ocorrer a qualquer pessoa. Pode ser porque precisas de um primeiro trabalho ou queres evoluir na tua carreira ou queres mudar e fazer algo completamente diferente.

Para puderes mudar, tens de colocar um pé na porta e poderes-te apresentar. O CV é a ferramenta ideal para te mostrares ao mundo.

Contudo, por ser algo tão essencial e redundante, quando estamos mesmo à procura, notamos que o CV está desactualizado, não tem os detalhes todos. Queremos começar à procura, mas o nosso principal cartão de visita não é apropriado.

Para quem está no mercado de trabalho, ter um CV é essencial, mas não chega.

Com o acumular de anos de experiência, torna-se díficil ter um CV de uma página que comunique as nossas melhores valências e a experiência e maturidade que queremos partilhar.

1 – Tenho mesmo de ter fotografia?

A questão da fotografia já é incontornável. Mesmo que não coloque, é bem provável que procurem o seu perfil nas redes sociais, principalmente no Linkedin. Um bom perfil no Linkedin funciona para complementar o CV e para ter uma fotografia de apresentação.

Assim, penso que não dá como evitar ter fotografia. Todo o CV deve ter fotografia profissional, iluminada, sem ser de perfil.

2 – Posso enviar o Europass?

O Europass é uma boa ideia para uniformizar os vários campos que um CV deve ter. A ideia é se tem de concorrer a um cargo fora do seu país e dentro da Europa, o modelo Europass ajuda-te a perceber quais os vários aspetos que deves incluir, como educação, experiência profissional, competências linguísticas, recomendações entre outros.

Contudo, o Europass tem um formato universal e que por isso comunica muito pouco do candidato ao recrutador. Então numa pilha de papéis é muito fácil o seu CV não se destacar.

Assim, diria para não usar o Europass, a não ser que a vaga a que queres concorrer refere expressamente que a candidatura tem de ser feita com CV em formato Europass.

Ter um CV só teu é uma boa maneira de comunicares os teus pontos fortes e à tua maneira. Eu fiz o meu no Canva gratuitamente. Levou-me algum tempo, mas está bom para o que pretendo.

3 – Posso ter mais do que uma página?

cesta com livros

Para quem tem muitos anos de experiência, esta pergunta pode ser chata, pois pode não ser possível condensar tudo em apenas uma página A4.

Há soluções e ferramentas que podem ajudar neste problema. Sim, o CV deve apenas ter uma página e é possível dispor a informação apenas nesse espaço (vê o Canva já que as suas ideias podem ajudar-te).

O CV deve conter o mínimo essencial. Outros detalhes que queres partilhar podes fazê-lo no e-mail de apresentação, na carta de motivação que também enviares ou então no teu perfil do Linkedin.

4 – Vale a pena por a licenciatura?

Esta questão coloca-se a quem tem experiência no mercado de trabalho e quer realçar as competências profissionais. Dizer a instituição de ensino onde se estudou pode ser relevante para alguns contextos, como vagas de emprego específicas para quem tem mestrado. E estamos em Portugal em que a instituição de ensino superior pode ajudar-te a ser chamado para uma entrevista.

À medida que o tempo passe, deves incluir a tua instituição de ensino se isso for o ponto de partida da tua experiência profissional. Se, por exemplo, sempre trabalhaste em Marketing, coloca a tua licenciatura em Marketing, demonstrando que os anos de universidade também serviram de experiência.

E os hobbies? Também ponho?

Para quem tem mais anos no mercado de trabalho, pode ser mais interessante colocar uma experiência profissional do que um hobbie. Contudo, um side hustle ou uma atividade que faças fora do trabalho pode ser mencionado no CV ou numa carta de apresentação.

5 – Devo colocar a morada?

A morada por extenso, diria que não. Mas deves colocar a cidade, o concelho ou a localidade em si. Pode ser útil para a empresa perceber de onde vêm os seus colaboradores, já que pode haver um favorecimento de pessoas que estejam mais próximas da região (é o caso de empresas que recrutam em Cascais, Sintra ou Oeiras, por exemplo).

6 – Devo ter mais do que um CV?

Sim, deves, totalmente. Se estás a enviar para empresas de diferentes setores ou se estás a tentar perceber se podes explorar novas áreas, deves ter dois CVs diferentes.

Por exemplo, tive um CV para a área de vendas/comercial e um CV para a área de conteúdos de marketing digital. Estes dois documentos existiam para demonstrar as minhas valências em cada uma das áreas. Cada pessoa iria olhar para o CV de forma diferente, dependendo da vaga e do que queria ver em mim.

Assim, deves ter mais do uma versão do teu CV, por forma a evidenciares mais aspetos do que outros e utilizares para a vaga correta.

7 – Tenho mesmo de enviar CV?

Pensei sobre este tema no ano passado. Com as ferramentas digitais ou redes sociais como o Linkedin, ainda vale a pena ter um CV?

Sim, um CV é um documento oficial, reconhecido e estático, que te é útil na procura de emprego. É um sumário que deves ter atualizado e acessível para apresentares o teu perfil profissional.

Lembra-te também que podes fazer CVs em vídeos ou em áudio, que é uma diversificação do formato escrito e pode também ser uma inovação à tua apresentação.

Estas são algumas perguntas que te podem ajudar hoje a fazer um melhor CV. Tens mais questões? Coloca nos comentários para te poder ajudar!