Ego: Aquelas pessoas que só falam “Eu”

egocentrico eu


Há um “Eu”, um “Tu”, um “Nós”, um “Eles”, mas há quem digam mais vezes eu, eu, eu.

Notei isto recentemente com pessoas próximas  e percebi que não gosto nada deste hábito que as pessoas vão ganhando.

Gosto de conversar, de conhecer as pessoas, de falar sobre vários temas. Mas gosto principalmente de discutir ideias e experiências. Ouvir histórias engraçadas e traços de pessoas caricatas é um óptimo tema de conversa e torna qualquer hora de almoço, reunião, jantar ou lanche numa óptima experiência rotineira.

Mas há pessoas que conseguem voltar todo o mundo para si mesmas.

Tenho notado que algumas pessoas conseguem falar de si mesmas horas e horas. Fala-se de cozinha e elas conseguem dizer que também gostaram muito daquele prato e o que costumam fazer ao fim-de-semana.
Fala-se de um sítio qualquer e falam sobre aquele dia que foram lá com a amiga.
Fala-se que se vai a um concerto, falam dos seus artistas favoritos, o que fazem nos concertos, o que levam vestido, as músicas todas que sabem.

Falam, falam, falam, sobre tudo o que pensam e fazem e acham. E mesmo quando não lhes perguntamos nada, falam sobre o que fizeram ontem e o que vão fazer hoje. E os planos que têm para os próximos tempos.

Não me levem a mal, é bom ouvir sobre as ideias e projectos dos outros, mas quando se torna repetitivo, começamos a notar nessa tendência. E com qualquer tendência torna-se irritante. Parece que tomam a conversa e viram-na logo para si. A palavra que fica no ouvido é EU, EU, EU,. É impressionante a quantidade de vezes que ouvimos essa palavra e quando notamos que há um amor próprio que começa a entrar no egocentrismo.

Todos nós temos direito à nossa opinião pessoal, ao nosso espaço, ao nosso tempo de antena mas noto que eu sou o oposto. Gosto de usar a palavra TU. Gosto de fazer perguntas, perceber o lado da pessoa e pô-la a pensar, dar-lhe novas ideias, perceber novas perspectivas. Utilizo muitas vezes as perguntas e o tu para saber a opinião do outro.

Numa conversa, o foco não está em mim, mas sim em conhecer o outro e ouvir o outro.

Por isso faz-me confusão quando oiço repetidamente a palavra eu.
A solução para o problema? Passar menos tempo com pessoas EU e passar mais tempo com pessoas TU. Para ouvir mais ideias, e menos pessoas.