Qual é o teu Plano B?

Todos temos um Plano A, aquela vida que todos vivemos. Mas se essa vida desaparecesse tens um plano B? Sabe o que é e porque deves ter um.

Todos temos 24 horas por dia e quase todos as passamos da mesma maneira. 8 horas a dormir, 9 horas no trabalho, sobram 7 horas. Podes por uma hora para transportes e assim perguntaste: o que fazes com 6 horas por dia?

Vês uma série, cozinhas, fazes scroll nas várias redes sociais, conversas, comes, lavas os dentes e está mais um dia feito. No fim-de-semana ficas com mais 9 horas livres, que utilizas para dormir mais um bocado, ver mais um pouco de séries, fazer uma coisa ou outra.

No fundo, passas a vida numa rotina, à espera. Mas à espera do quê?

À espera que o salário aumente, que as despesas baixem, que os filhos crescem e saiam do ninho, da reforma, que o pé de meia encha e se faça uma viagem.

Passas a vida nesta rotina pois sabes que a vida adulta é isto: trabalhar para ter dinheiro e com esse dinheiro pagar a casa, a água, a electricidade e o gás, a comida e tudo aquilo que precisamos para viver. O resto fazes com o que sobra.

Ainda é um tema pouco explorado, mas certamente já deves ter ouvido alguém dizer: qual é o teu Plano B?

Um Plano B é geralmente um plano que tens caso um dia sejas despedido. Como a maioria da população vive de um só rendimento, se esse rendimento falhasse, o que ia fazer da vida? Procurar outro emprego, certo, mas quando e em que condições? Ganhavas mais ou menos do que ganhavas? Viver do subsídio era possível?

O Plano B surge-me na cabeça todos os dias, talvez por ser Millennial. Já o disse a algumas pessoas: vamos ser a geração que vai ganhar menos que os pais, ou seja, admito que o meu EU com 35 anos irá ter um salário mais baixo que o dos meus pais, quando tinham 35 anos. Não é uma questão de percurso profissional, pois eu podia seguir os passos todos, mas não vou ganhar o mesmo dinheiro por via de um salário.

Daí nasce a necessidade de ter um Plano B, um segundo rendimento, uma segunda atividade que me ajude a ter mais dinheiro, um outro conforto financeiro.

Muitos portugueses não conseguem poupar e vivem num constante aperto financeiro. Todos os meses aguentam as contas como têm de aguentar, mas se o abanão for grande, talvez não consigam pagar tudo e metem-se em créditos que também não conseguem pagar.

Já disse que poupar é fundamental, nem que seja porque todos os anos a vida vai ficar mais cara. Se já hoje acho que não sou independente financeiramente, imagino o que é viver com «quando a renda aumentar», «quando o salário não subir», «quando a gasolina continua a oscilar» ou «quando os prémios anuais e os extras são cortados».

O medo de falhar continua lá, porque o futuro é incerto. Não há empregos para a vida toda, pelo que esta geração não consegue garantir que terá um salário para o resto da vida ou até mesmo uma reforma. Instala-se assim a dúvida: sem certezas, como posso assegurar a minha vida?

Se estás a pensar nisso, então deves fazer um Plano B.

Assim deixo-te três razões porque o deves fazer e que benefícios te poderá trazer:

Estabilidade financeira

Ter independência financeira é obter vários rendimentos em que, se um falhar, é possível continuar a cumprir os encargos financeiros.

Assim, quantas pessoas têm estabilidade financeira? Tens poucas poupanças, poupas todos os dias um pouco e tens um salário. Se ficares sem salário, como consegues pagar um ou outro encargo? Então não estás numa posição muito estável.

O Plano B dá-te uma ajuda. Mesmo que seja metade do teu salário, podes encontrar uma atividade que te ajude a ter um rendimento extra, como um side hustle.

Nem tens de pensar se um dia o teu Plano B pode-te trazer mais trabalho e mais dinheiro que o Plano A, pois não é esse o objetivo. Deves apenas pensar que podes usar as tuas 6 horas livres por dia para empreender algo, criar valor à sociedade e «fazer uns trocos». Uns trocos por mês e a crescer já te permitem aumentar as poupanças e teres uma situação mais confortável.

Perseguir os teus sonhos

Muitos utilizam os Planos B para poderem montar os seus projetos, porque querem seguir os seus sonhos.

Porque gostam de desenhar e têm um espaço e tempo para poderem fazer o que quiserem. Sem compromissos, sem pressão, sem risco de perder a casa. Ajuda muito poderes ter um espaço seguro para exercitar as tuas ideias.

Há coisas que fazemos por gosto sem que ninguém nos pague – mas imagina que gostam do trabalho e ainda te pagam? Ter um Plano B acaba por ser uma experiência tua em que podes descobrir o que gostas de fazer.

Queres uma mudança na tua vida

Conheci algumas pessoas que falavam que queriam uma mudança na vida. Eram muito boas nos seus ramos profissionais, tinham alguma estabilidade, mas queriam mais. Queriam desafiar-se, aprender algo novo, experimentar coisas diferentes.

O Plano B já não era tanto um rendimento extra ou um exercício criativo, mas sim um desafio pessoal. O Plano B era uma experiência para se conhecerem melhor e explorarem coisas sem medo, sem insegurança. Simplesmente sair da zona de conforto porque o ser humano é eternamente insatisfeito

Ler mais: O que fazer quando não gostas do teu trabalho ou onde trabalhas

Adapta-te ao futuro

Darwin já disse há mais de 200 anos: o mundo não é do mais forte, mas daquele que melhor se adapta às mudanças.

Podes hoje estar no topo da tua carreira, mas não sabes como é no futuro. Para assegurares o teu valor, as tuas capacidades e o teu futuro financeiro, deves perceber que valências tens positivas e aquilo que deves trabalhar para adaptares-te ao desconhecido.

As soft skills ganham algum relevo neste panorama pois se daqui a 20 anos saber programar já não é nada de especial, saber vender, saber falar, saber gerir, saber ser criativo certamente vai-te ajudar a descobrir novas valências. É o teu poder de te reinventares que te vai permitir ser feliz, pois vives de acordo com as tuas ambições e objetivos assim podes concretizar tudo e isso ajuda muito na tua felicidade.

Assim, porque não pensares em ter um Plano B? No final de contas, podes crescer, desafiar-te, perseguir alguma paixão que tens e talvez ganhar algum dinheiro com isso para assegurar o teu futuro financeiro. Não é fácil, mas também não é difícil, experimenta!

Gostaste deste artigo? Podes ler mais sobre este assunto nestes artigos:

Artigos criados 250

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo