cinco habitos de atletas de alta competiçao

5 hábitos que podemos aprender com atletas de alta competição

Os atletas de alta competição utilizam várias ferramentas para obter os resultados que querem. Neste artigo, conhece cinco hábitos que te podem ajudar no sucesso.

Há muita coisa que podemos aprender com os atletas. Conseguem trabalhar o corpo de uma forma extraordinária e fazer feitos sobre-humanos. A admiração que temos com atletas tem a haver com a sua capacidade de superação e de persistência. Apesar de terem uma carreira curta e intensa, têm de se manter ativos anos após anos e crescer como um todo sempre.

Sabemos que os atletas de alta competição têm uma vida muito diferente da maioria. Contudo, há hábitos que podemos adaptar à nossa rotina que fazem a diferença.

5 hábitos que podemos aprender com atletas de alta competição

Manter uma rotina

Os atletas de alta competição têm uma rotina muito estrita e voltada para a disciplina. Os treinadores e a equipa técnica ajudam a que haja treinos bi-diários, equipamento sempre disponível e um plano de nutrição adequado. Com longas temporadas anuais, há que manter a forma semana após semana e isso só se consegue com uma rotina.

A rotina no trabalho também deve ser estrita e flexível para os imprevistos. Os rituais matinais são muitas vezes vistos como chaves para um dia de sucesso. Manter uma rotina é realmente importante pois aumenta a nossa capacidade de foco e consequentemente de concretização e produtividade. Assim, quanto mais fazemos, mais temos confiança em nós.

Numa vida agitada, é possível adoptar pequenos hábitos que integram a rotina e são esses pequenos detalhes que nos podem ajudar a gerir melhor o tempo, as emoções e a relação com os outros.

Ter calma nos momentos de stress

Nos grandes eventos desportivos, como um jogo de final que pode trazer um título importante, muitos são os atletas que se dizem calmos. Recentemente vi o vídeo do Michael Jordan e que falava que entrava em campo sempre relaxado pois acreditava nas suas habilidades. Outros jogadores de ténis que também ouvi, como Roger Federer ou João Sousa, partem para as finais ou para o último ponto da vitória com tranquilidade.

Trabalhar o mindset

Na entrevista ao Maluco Beleza, João Sousa disse que o pesado desporto do ténis é “70% mindset”. Esta afirmação surpreendeu Rui Unas, claro, pois o ténis, como qualquer outro desporto, incorpora técnica e prática. Quando existe um jogador supremo, vemos que ele tem técnica que resulta na grande maioria dos jogos. Contudo, há a componente importante do mindset que influencia muito a carreira dos atletas.

Se a confiança e a calma não estão lá, é muito possível entrar em estados de ansiedade e não jogar o máximo das suas capacidades. Os problemas familiares e emocionais afectam qualquer ser humano e nos atletas tal não é excepção. Depois de um falhanço, é também comum martirizarmo-nos e termos medo de tentar de novo. O diálogo interno que temos connosco próprios pode ajudar muito a desbloquear limites e a tentar mais uma vez. Na vida não podemos sempre ganhar, nada é dado e não há imunidade ao falhanço. Todos nós já caímos quando tentamos começar a andar, certo? Assim, o falhanço é um dado adquirido, o sucesso é que não.

Para podermos navegar os vários percalços da vida, temos de estar sempre atentos de como encaramos esses acontecimentos e o mindset é a ferramenta para isso.

Ler Mais: Mindset: 3 Coisas Que o Cristiano Ronaldo nos Ensina

Adaptar-se

Uma das grandes componentes do desporto é que ele varia e existem muitos factores em jogo. Nos jogos de equipa, o treinador, as lesões, a composição diferente e o adversário influenciam muitos os resultados.

Uma equipa pode ser invencível durante um ano (já falei do caso de Mourinho e das suas equipas), mas não é obrigatório que repita a proeza. A carreira de um atleta pode terminar de um dia para o outro com uma lesão ou com a mudança de um jogador ou treinador que mudou a sua forma de jogar.

O grande atleta é aquele que em qualquer situação mantém a forma e o mindset certo. É aquele que mesmo com as várias mudanças, entra em jogo. É aquele que sabe que as coisas podem sair fora do expectável e que mesmo assim adapta-se e encontra formas de ganhar.

O sucesso do nosso trabalho também depende desta perspectiva. O mercado de trabalho está a alterar-se rapidamente e quanto mais avançamos na carreira, ganhamos novas competências e novos desafios para ultrapassar. É a capacidade de adaptação que nos permite continuar a trabalhar ou até mesmo sonhar com diferentes funções e mudar de carreira.

Rever resultados

Num recente documentário sobre a época de 1995-1996 dos Chicago Bulls, mostravam que depois de um jogo perdido, o treinador e a sua equipa técnica reviram o jogo da noite anterior e procuraram formas de melhorar.

Este é um tema que já falei muitas vezes e que nunca é demais referir: cada vez que fazemos algo temos de rever os resultados.

Independentemente de o plano ter sido um sucesso ou não ter correspondido, há que avaliar o que correu bem e o que há a melhorar. Há que ver quais os elementos que podem funcionar num outro projeto, outros detalhes que devem ser adaptáveis e quais os aspectos que não se devem repetir. 

Estes são alguns hábitos que atletas de competição seguem e que podemos também seguir para obtermos excelência profissional. Que outros hábitos achas importantes?