O que podemos aprender sobre o Sucesso com a Cristina Ferreira

Quer se goste ou não do seu estilo pessoal ou trabalho, a Cristina Ferreira é uma das mais poderosas marcas em Portugal – e pode bem ser uma boa lição sobre o que é o sucesso.

Nas últimas semanas, parece que Portugal não falou de outra coisa se não do regresso de Cristina Ferreira à televisão. Uma das maiores marcas do país deixou uma estação televisiva para ir para a concorrente fazer o seu programa, que irá estar em concorrência direta com o seu antigo programa.

O programa estreou esta semana, mas a campanha começou muito antes. Com a entrevista do Alta Definição, estive 45 minutos a ouvir a apresentadora a falar da sua vida pessoal, do seu percurso profissional e dos seus valores no trabalho e na vida pessoal.

Quer se goste ou não, Cristina Ferreira é uma super marca em Portugal

Cristina é uma comunicadora nata e os seus últimos anos de carreira provam a sua veia empreendora: website, revista, loja de roupa, um livro a ensinar inglês. São tudo projetos que saem da televisão e mostram que esta senhora sabe como trabalhar o seu potencial. Cristina sabe que é uma marca e que todo o produto ou serviço ao qual se associa tem vendas e negócio por detrás.

Na entrevista do último sábado, pude retirar algumas ideias sobre empreendedorismo e sucesso.

7 ideias sobre empreendedorismo que podemos aprender de Cristina Ferreira

Há melhores oportunidades a caminho

Cristina contou, na entrevista, que ouviu vários nãos quando achava que iam ser sins certos.
Ao ir a vários castings, sabia do seu potencial e preparava-se para fazer o melhor trabalho e ganhar o posto. Contudo, quando achava que ia sair um SIM, saíram-lhe NÃOS que a deixaram frustrada.
Contudo, admite, foram esses nãos que a permitiram iniciar o seu percurso no Você na TV ao lado de Manuel Luís Goucha e iniciar a sua carreira que conhecemos hoje.
A lição que podemos retirar é que por vezes não temos as oportunidades que desejamos, mas iremos certamente ter outras no futuro que podem estar mais adequadas à pessoa que seremos no futuro. Existem muitas oportunidades que não são para nós, mas há sempre outra melhor a caminho.
A ideia é não desmotivar e sempre depois de um não, tentar de novo.

Manter os pés assentes na terra

Ela ganha milhares de euros, foi noticiado que poderia ganhar mais que os patrões do grupo Impresa, mas ela não esquece as suas raízes. Mantém-se na terra que a viu nascer, tem uma casa em que os seus familiares mais próximos têm a chave, viaja com o filho e a família.
Uma pessoa no topo pode sentir-se sozinha, pois a jornada do empreendedor é fria, difícil e sem muitas pessoas a apoiar. Ainda assim, Cristina não se deslumbrou e diz que a família é o que a faz manter os pés assentes na terra. É a sua história de menina do campo que tinha pouco, é a experiência nas feiras, é o percurso humilde que a fazem dizer que com o trabalho é possível construir o mundo.

Há uma pessoa por detrás da marca

Apesar de ser famosa e de não conhecer o anonimato, Cristina falou que há uma pessoa que, depois do dia de trabalho, chega a casa e não trabalha. Uma pessoa que se desmaquilha e quer estar sozinha. Uma pessoa que tem sonhos, emoções, medos e incertezas.
Quando se está a montar um negócio, todo o tempo e dedicação vai para o projeto, mas é também importante entender que há uma pessoa por detrás do empreendedor, apresentador ou celebridade. Essa pessoa tem sentimentos, desejos, medos, incertezas. Também fica triste com uma crítica e também se revolta com as injustiças. Podemos estar numa posição de poder, mas temos sempre de ter mais empatia pelos outros.

Ser independente financeiramente

A Cristina conta a história da sua mãe, que fez o sacrifício de deixar de trabalhar para ficar a cuidar da família em casa – «mas a minha mãe nunca pediu dinheiro ao meu pai», revelou na entrevista. Disse que vendia bolos, fazia cortinados, ajudava na feira, fazia todo o tipo de coisas para ganhar um dinheiro extra.
A destreza de ser financeiramente independente é sem dúvida uma pedra basilar numa vida mais feliz, sobretudo para as mulheres. Apesar de estarem a ganhar poder de compra e até ganharem mais que os companheiros, as mulheres continuam a estar desprotegidas se se virem em situações de divórcio e pobreza. É por isso importante que qualquer ser humano (não só mulheres) que viva junto ou em família procure sempre a sua independência financeira.

Se isto falhar eu arranjo outra coisa

Mais uma vez dando o exemplo da mãe, Cristina respondeu que se isto da televisão acabar – e ela também disse que deixaria de apresentar nos próximos anos – ela vai fazer outra coisa e irá ficar bem.
O poder de reinvenção é, de facto, algo que qualquer empreendedor tem quase de forma inata. A inovação e a criatividade são boas ferramentas num mercado de trabalho que muda à velocidade da luz. Já não há empregos para vida, todos os meses são criados novos empregos em novas áreas e lentamente faz-se a requalificação de funções e competências para colaboradores se adequarem a novos sectores de mercado.
Com a automatização na ordem do dia, é importante que desenvolvemos pessoalmente as nossas competências, lembrando que pensar é a skill do futuro.

O trabalho fala por si

Mais do que falar do seu trabalho, Cristina comentou que não estar no anonimato não lhe permite quase ter uma vida pessoal, devido aos ataques da imprensa. Mais do que a vida privada, Cristina também prova projeto após projeto que o seu trabalho de comunicadora, empreendedora e gestora de marca fala por si.
A verdade é que neste caminho vai haver desafios e adversidades. Há pessoas que têm interesse em subjugar o nosso sucesso ou simplesmente colar-se para não terem o trabalho devido. Contudo, é necessário não ligar aos haters e continuar a trabalhar. Mesmo com as críticas, que existirão sempre, é necessário não ouvir e continuar o caminho. O trabalho irá sempre falar por si, não sendo necessário explicações ou justificações. Se for um bom projeto gerido de uma boa maneira, o sucesso irá aparecer.

Viver a vida segundo as nossas próprias regras

Esta foi provavelmente a maior conclusão que tirei durante a entrevista – Cristina é uma pessoa feliz, profissional e conceituada porque vive a vida segundo as suas regras.

Acorda cedo, deita-se sempre à mesma hora, não gosta muito de festas, mantém o seu filho privado, é exigente e sabe comunicar com qualquer pessoa. Ganha milhares de euros e prefere viver fora de Lisboa e viaja com a família. Diz que partilha a vida com a família, não dá tudo ao filho e deixa os pais trabalharem no que querem. Mantém o seu núcleo duro para ter os pés assentes na terra e não renúncia as suas origens, sendo «saloia» orgulhosamente. Vingou em televisão, criou uma marca à sua volta, tendo vários negócios, sem recorrer a cunhas e simplesmente com o trabalho.

No fundo, Cristina Ferreira fez a sua vida com as suas regras e trabalho e ninguém lhe pode tirar isso. O seu papel é de comunicadora e entretenimento, não lhe sendo pedido que aprove leis, gira uma freguesia de habitantes ou julgar crimes em tribunal. O seu lugar ao sol foi conquistado com trabalho e está feliz porque vive a sua vida como quer, porque quer.

 

Estas são as lições de empreendedorismo que a marca Cristina nos pode dar. Não temos de seguir o seu exemplo mas podemos de fato aprender com o seu trabalho, gestão, marketing e comunicação, que são feitos há décadas com o mesmo profissionalismo, empreendedorismo e inovação.

Artigos criados 247

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo