Há Dias Perfeitos em Que Não Faço Nada

Há dias perfeitos em que não faço nada.
Há dias em que vivo com calma.
Há dias em que me esqueço de tudo.
Todos os dias temos uma lista mental de coisas que temos de arranjar. Todos os dias trabalhamos para conseguir amealhar algo na vida: uma casa, um carro de luxo, uma mala gira, um emprego de sonho, uma carreira de sucesso, uma família, um bom gestor de conta.
Todos os dias estamos a trabalhar para construir a nossa vida. Muitas vezes agarramo-nos a bens materiais, a tarefas inexequíveis. Passamos os dias em constante stress, a pensar sempre: “tenho de arrumar a sala”; “tenho de passar a ferro”; “tenho de ver o email do trabalho”; “tenho de ter aquela promoção”;”tenho de aproveitar bem o tempo”;”tenho de apanhar aquela série para não perder o episódio”;”tenho de ir àquela festa”.
Há dias em que temos mil e uma coisas para fazer e buscamos sempre um objetivo. Corremos para aquele objectivo, para isto, para aquilo, sabe-se lá para o quê.

Mas há dias perfeitos em que não faço nada.

Nesses dias perfeitos, simplesmente decido ir para algum lado e estou com a natureza. Nesses dias, não tenho planos nem to-do lists. Não tenho problemas para resolver nem ânsias para acalmar.

Não tenho carreiras para planear nem emails para responder.

Não existem redes sociais nem cursos online.

Não existem fotos para publicar nem frases inspiradoras para postar.

Não existe nada que pensar. Não existe nada para resolver. Não existe guerra nem fome.

Não há obrigações, regras, limites.

Não há escassez, menos ou mais. Não existe tempo, espaço.

Há dias em que estou agarrada ao meu namorado e não se passa nada. Ou melhor, tudo passa.

Não penso em dinheiro. Não penso na casa que queria comprar; na carreira que não sei bem onde me irá levar; nas compras do supermercado; nos ténis que gostava de comprar; na alimentação que tenho de mudar; na consulta do dentista; no ginásio a que não vou; nas fotografias de casamentos; nas prendas de aniversário; nos jantares a dever aos amigos.
Há dias em que não penso que tenho de estar a fazer algo de útil com a minha vida.

E às vezes isso é bom.

Estamos muita parte da nossa vida a pensar no que irá acontecer e esquecemo-nos de viver o momento.
Todos somos mas por vezes o importante é estar.
Estar no momento. E é nesses momentos que eu não penso em nada e apenas estou naquele momento feliz.
Os momentos de aproveitar, de não pensar no que vai ser a seguir.
Reparo que todos os dias faço imensas perguntas sobre o que fazer a seguir porque estou sempre a querer preparar tudo – numa ânsia de aproveitar o melhor das 24h que nos dão. Essa ânsia de não desperdiçar tempo, de fazer tudo para não olhar para trás em remorso.
Estou sempre a pensar que poderia ter feito outra coisa.

Essa ânsia tem de acabar.

Essa mania que temos de ter de estar sempre a produzir, a não desperdiçar tempo, tem de ter menos lugar nas nossas vidas. Temos de viver mais o presente, estar mais, relaxar mais, descontrair mais.
Temos de aproveitar aquilo que mais temos na vida: o espaço em que vivemos e o tempo que vivemos. Porque a produtividade vem mesmo aí – dos minutos que não estamos a pensar.
Há dias em que não faço nada, e esses dias são perfeitos. Há dias perfeitos em que sou muito produtiva e sinto-me orgulhosa do meu trabalho. E também há dias perfeitos em que não faço nada e simplesmente estou no momento. Onde gosto, com quem gosto, como gosto.
TORNA-TE GRANDE!
Subscreve à Grandeza
Recebe em primeira mão dicas e novidades sobre Carreira, Empreendedorismo & Motivação!
Quero ser Grande!
Sem SPAM, porque quero que recebas conteúdo útil. Experimenta!
close-link