poupar nos saldos

Saldos: como comprar mais e poupar dinheiro!

Ir aos saldos e gastar dinheiro é algo supérfluo ou é um investimento?

Sempre que penso em ir aos saldos tenho dois pensamentos: o primeiro é o de sei que tenho coisas (roupa neste caso) que “preciso” na minha vida e que os saldos é a melhor forma de aproveitar comprar essas coisas por um preço inferior. E o segundo é o que não deveria perder tempo em tendências consumistas e deixar o meu dinheiro na conta bancária a acumular para investimentos verdadeiramente interessantes na minha vida!

 

Contudo, com o tempo, percebi realmente o truque para ter uma boa experiência de saldos: identificar as oportunidades de investimento.

Este verão, a lista de prioridades era a seguinte:
1 fato de banho / trikini – max 70 euros
1 vestido para um casamento em Setembro – max 30 euros
1 calças de ganga – max 40 euros
1 calças brancas – max 30
Budget máximo: 170€
Resultados:
1 fato de banho – 25€
1 vestido para um casamento – 30€ em saldos
2 calças de ganga – 30€
Não estava na lista – 2 casacos de inverno + 1 blazer
Oi? Casacos de inverno no Verão? Mas isto faz algum sentido? Faz e muito!
Segundo os meus objetivos, consegui despachar logo o fato de banho e o vestido. Levei um par de calças a mais e as calças brancas ainda não foram desta.
No entanto, vejamos: de um orçamento de 170€, comprei 4 peças por 85€. Ou seja, gastei apenas 50% do orçamento pretendido e comprei quase tudo. Agora se os pares de calças são de boa qualidade? Não muito, mas por agora devem servir e tendo dois pares, consigo variar mais.

E então quantos aos casacos? É aqui que entra a oportunidade de investimento!

O blazer comprido azul escuro é uma peça mais do que versátil e leve. Usa-se com vestidos no verão e no inverno também é possível usar. É de uma cor neutra e sóbria e dá para usar no trabalho e no fim-de-semana.
Gasto ou investimento? Investimento baixo mas com grande potencial para ter bons resultados no futuro, depende das vezes que o uso se aguentar.
Dinheiro gasto: 85€ + 13€ = 98€
E agora vamos então falar dos casacos de Inverno, uma compra completamente fora da lista inicial mas que fez todo o sentido.
Já sabia que este ano teria de comprar um casaco de inverno preto porque o meu de seis anos já estava a dar as últimas. E lá entrei eu numa loja e vi um a 20€!! Um casaco de inverno normal que em época alta custaria 60€ e nos saldos possivelmente chegaria aos 40€. Mas agora estava a 20€, estava com mais de 50% de desconto!! Era um preço de outlet mas numa loja normal!! Vi qual o tamanho que me ficava melhor e decidi levar.

Mas pensei mais além e decidi aplicar uma regra de investimento: se gostas muito de artigo leva mais exemplares para poderes usar e abusar da peça.

Visto estar a um preço irrisório e por ser fácil recuperar 20€ no próximo mês ou através de um trabalho freelancer, comprei o mesmo casaco mas em cinzento claro.
Tenho a mesma peça que já sei que fica bem. É uma peça intemporal que eu já sabia que tinha de ter uma nova. Estava a um preço mais do que convidativo e por isso decidi levar o mesmo exemplar mas noutra cor. Assim, posso variar: se quiser um look mais escuro uso o preto se quiser um look mais claro tenho o cinzento. Considerando que cada um destes casacos pode durar 4-5 anos, estou basicamente a dizer que tenho uma peça de roupa que me vai durar quase uma década – ou seja gastei 40€ para ter o retorno do seu uso em oito anos.
Vamos então fazer as contas finais:
 
  • Budget máximo inicial: 170€
  • Peças a comprar: 4 peças
  • Dinheiro gasto: 98€ + 20€ + 20€ = 138€
  • Peças compradas: 7
  • Poupança total =  32€
  • Custo por peça máximo = 170/4 = 42,5€
  • Custo por peça final = 138/7 =  19,7€

 

Gasto ou investimento? Melhor investimento de sempre, pois gastei menos dinheiro do que o previsto, comprei mais peças e preparei-me para o Inverno, em que quando haver saldos, já não irei de ir comprar casacos!
Este exercício pretende mostrar que o dinheiro é um ferramenta importante que nós podemos e devemos controlar a nosso favor. Eu comprei mais peças do que o expectável e comprei coisas que não estavam na lista inicial, mas antes de fazer a compra, ponderei se era um gasto ou um investimento. Neste caso, aproveitei as melhores oportunidades de investimento e segui uma velha máxima muito eficaz: comprar peças básicas e de cores neutras para podermos usar em qualquer estação do ano, no trabalho ou em casa, hoje ou daqui a 2 anos.
Gastar dinheiro não tem de ser um tormento, porque uma compra responsável (e muito barata!) é o dinheiro mais bem gasto!